Praça abandonada na Vila São Rafael

0
799

 

A dona de casa Núbia Maria de Oliveira, 44, retirou do bebedouro da Praça da Vizinhança, na Vila São Rafael (Região Centro), ao lado da Escola Estadual Ary Gomes, uma garrafa de vidro, copos e embalagens plásticas e até um aparelho de barbear. Por toda a praça não há lixeiras disponíveis.

 

“Amanhã já está sujo de novo. Dá nojo”, contou. “É abandonado. Ligo para a Prefeitura limpar a praça, mas demoram”, complementou a auxiliar de enfermagem Neusa de Deus. A última limpeza foi realizada há três meses, de acordo com  os moradores.

 

A sujeira não é exclusividade do bebedouro e nem de longe é o único problema.

 

vila-sao-rafael-guarulhos

Balanço – Situação não impediu Ariane Bartieri de brincar com a filha (Foto: Beto Martins)

 

Há cerca três meses, foram retirados uma mesa com quatro bancos para dar lugar a mesma quantidade de montes formados por terra. Os frequentadores não entendem o motivo dessa troca. Até o momento, os equipamentos arrancados continuam largados por lá.

 

“E olha como está a quadra”, reforçou o aposentado Luis Carlos Ponce, 68. O terreno ainda tem duas traves enferrujadas e grades no mesmo estado, além de um pedaço de tronco de árvore. A valeta ao lado do equipamento acumula lixo e parte de seus tampões de concreto foi destruída. “Não traria o meu neto aqui”. Ponce ainda aguarda a instalação de equipamentos de ginástica prometidos, segundo ele, pela Prefeitura.

 

A situação da praça não impediu a operadora de caixa Ariane Bartieri, 25, de deixar a filha de três anos brincar na balança. “Os brinquedos estão em bom estado, mas o restante precisa melhorar. Está tudo bagunçado aqui”, disse.

 

Segundo a Secretaria de Meio Ambiente, “a praça da Vizinhança está cadastrada no roteiro de manutenção programada”, mas não informou quando isso ocorrerá.

 

Árvore infestada de broca ameaça cair

 

Uma paineira da Praça da Vizinhança deixa os moradores temerosos por casa da infestação de broca, inseto que corrói a parte interna da árvore. O risco de queda é iminente. Há dois meses apenas os galhos foram cortados. No tronco foram colocados, pela Secretaria de Meio Ambiente, quatro armadilhas para a captura das brocas.

 

A Folha Metropolitana publicou em janeiro deste ano semelhante infestação em  uma paineira centenária na mesma praça, que acabou sendo arrancada. A Secretaria de Meio Ambiente diz que “a continuidade dos trabalhos de remoção está programada e que não há situação de risco”.

 

Fonte: Folha Metropolitana