PM`s são afastados após morte no Terminal Taboão

0
468

 

Policiais militares do 15° Batalhão foram afastados após a morte de um homem, que não teve a identidade revelada, um agente de segurança penitenciária aposentado, que seria segurança do Terminal Metropolitano do Taboão, localizado na avenida Natália Zarif, s/n. De acordo com a PM, o caso ocorreu na madrugada desta quarta-feira (16), às 2h52, e os policiais teriam recebido um chamado para a averiguação de indivíduos suspeitos próximos aos caixas eletrônicos do terminal.

 

 

Durante a chegada dos policiais, os agentes teriam sido recebidos a tiros. “Foram recebidos por disparos de arma de fogo, no que revidaram a injusta agressão e atingiram um indivíduo, que vieram saber que se tratava de um agente penitenciário aposentado, que não resistiu aos ferimentos e entrou em óbito”, afirmou em nota a PM.

 

O terminal de ônibus chegou a ficar interditado para a realização da perícia e a retirada do corpo até às 6h30. “Devido à ocorrência, o terminal foi interditado pelos policiais das 4h (início da operação ) até as 6h30, porém, as seis linhas que lá operam circularam nas imediações, não comprometendo o atendimento aos usuários. A operação do transporte metropolitano já está normalizada”, informou em nota a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU).

 

Funcionários de quiosques do terminal, que pediram para não serem identificados, confirmaram que teria sido um segurança que morreu, e com a interdição, alegam que foram prejudicados. “Eu chego para trabalhar aqui no terminal às 5h30, porém, nossa loja só foi abrir às 7h. Com essa situação toda, acabamos perdendo clientes”, destacou a funcionária.

 

O Jornal Guarulhos Hoje compareceu ao terminal na parte da manhã, e os caixas eletrônicos estavam funcionando normalmente, porém, havia um quiosque fechado, além da presença de uma Base Móvel da PM. Um investigador da Polícia Civil que estava no local, alegou que não há câmeras no terminal para ajudar nas investigações.

 

“Foi instaurado Inquérito Policial e os policiais militares envolvidos encontram-se afastados do serviço operacional, para avaliação psicológica”, informou a PM. Já a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP), destacou que o caso é investigado pelo Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), de Guarulhos, com o apoio do 7° Distrito Policial, onde foi registrada a ocorrência. “A polícia realiza diligências em busca de elementos que auxiliem no esclarecimento dos fatos”.