Guarulhenses trabalham na produção de filme independente

0
304

 

Os guarulhenses Barbara Mascarenhas e Tico Barreto estão trabalhando intensamente na produção do longa-metragem “Máscaras”. O filme é fruto de um projeto realizado de forma totalmente independente, sem nenhuma lei de incentivo ou apoio governamental. Os atores e a equipe técnica estão trabalhando no formato ‘crowndsourcing’ (colaboração coletiva), acreditando no potencial da narrativa e na qualidade da produção.

 

Amigos – Tico Barreto e Barbara Mascarenhas no set de filmagem de “Máscaras” – Foto: Divulgação

 

“Fico muito feliz por esta oportunidade de divulgação do nosso trabalho, e ainda mais honrada por ser na minha cidade natal (Guarulhos); precisamos falar das nossas raízes, da nossa casa. O filme também trata disso, da família, da necessidade de falar sobre os nossos sonhos e problemas, de encontrar caminhos para crescer juntos”, disse Barbara Mascarenhas, coordenadora de produção.

 

 Tico Barreto, preparador de elenco, também é da cidade. “Estamos orgulhosos deste filme”, complementa Barbara.

 

“Uma curiosidade que quero compartilhar como produtora é que fiz questão de trazer empresários de Guarulhos para participar do filme como parceiros. Temos a franquia da Hering Shopping Maia e Hering Bosque Maia nos apoiando com peças de vestuário, a Morana do Shopping Internacional e o Mercatudo das André luiz, com objetos de cena, ainda esperamos que este time cresça e traga frutos para estes empresários”, concluiu.

 

Sinopse do filme

 

“Mascaras” é um filme de suspense psicológico, de aproximadamente 90 minutos, com inspiração em clássicos do gênero, como “O iluminado”, “Clube da Luta”, “Psicose”, entre outros.

 

 A narrativa trata de uma família dividida pela traição, que resolve passar um fim de semana juntos numa fazenda, com o intuito de se aproximarem. Em meio a jogos, churrascos, as relações familiares começam a se degradar, expor rachaduras nas mascaras sociais. Se as mascaras caírem, não há família que sobreviva.

 

O roteiro, escrito por James Salinas, tem uma curva dramática crescente, tons de thriller psicológico e cenas de tensão. A proposta de linguagem é trabalhar as subcamadas de todas as personagens, traumas do passado, trazendo uma conclusão de signos com um final surpreendente.

 

Ficha técnica

 

O diretor André Luis realizou vários trabalhos como ator em cinema, curtas, longas, televisão, teatro e vem dirigindo curtas metragens desde 2015. Seu primeiro curta de suspense foi “Julia”, que foi exibido em mais de 15 festivais, nacionais e internacionais. Também produziu “Cinedraminha Nacional”, que transita em festivais atualmente e está em pós-produção dos curtas “Que gente é essa?” e “LUX”.

 

O diretor de fotografia Isiel Miranda assinou a série “144 Web série”, “Chamado de Coragem” e os curta metragens “Um tempo Qualquer”, “Copo D’água” e o documentário “Educação TV Novo Tempo”.

 

A Diretora de produção e de Set Barbara Mascarenhas foi premiada em 2018 com seu primeiro longa-metragem “SP: Crônicas de Uma Cidade Real”. Participou do clipe “As Armas Que Matam” – RZO banda, com direção Elder Fraga, clipe que recebeu menção honrosa no Fest Clipe, indicado em cinco categorias.

 

O roteirista James Salinas roteirizou três das cinco histórias do longa-metragem “SP: Crônicas de Uma Cidade Real”, Júlia, Lux, que inclusive foram dirigidos pelo diretor de “Máscaras”, André Luís, e Rua 10, casa 10 e Nove, entre outros.

 

O preparador de elenco Tico Barreto é ator e cineasta. Com 20 anos de experiência no cinema assina mais de seis curtas metragens e dois longas. Premiado em 2019 com o filme “Impulso”, Tico Barreto tem diversas campanhas publicitárias e séries de TV, como “Carcereiros”, na Rede Globo.

 

Acompanhe a página do filme, que terá brindes e promoções no Instagram