Passe livre

0
620

 

No segundo ato contra o aumento da tarifa de ônibus para R$ 3,50, manifestantes caminharam nesta segunda-feira, 19, à tarde por quase três horas para chamar atenção do povo guarulhense. Eles iniciaram o protesto na Praça Tereza Cristina, Centro, às 17h20 e acabaram no Terminal Metropolitano Cecap, às 20h10.

 

Foram mais de 4 km de caminhada com faixas e marchas pedindo tarifa zero. De acordo com a Polícia Militar, 150 pessoas participaram do ato. Setenta PMs foram acionados para impedir o vandalismo e o acesso à Rodovia Presidente Dutra.

 

 

O trajeto foi escolhido em assembleia. “Nosso objetivo é denunciar o abuso dos R$ 3,50 e também o valor das passagens nos intermunicipais. O trajeto é para denunciar o modelo da cidade que temos, que só beneficia as empresas, montadoras e carros”, disse um dos organizadores do Movimento Passe Livre (MPL), que não quis se identificar.

 

Eles saíram da Praça Tereza Cristina, entraram na Rua João Gonçalves e chegaram na Avenida Paulo Faccini pela Rua Diogo de Farias. Foram até a Avenida Monteiro Lobato, viraram na José Campanela e entraram na Avenida Presidente Tancredo Neves. Seguiram até o Terminal Metropolitano, que estava vazio. “O poder público tirou os ônibus do Terminal. É um absurdo”, lamentou a organizadora da manifestação, Ariane Pires, participante do MPL.

 

Ela afirmou que o trajeto foi satisfatório e que surtirá efeito para as pessoas, pois passou por importantes avenidas de Guarulhos. “É importante para mostrarmos o quanto é forte a luta pela tarifa zero. Não entramos na Dutra, mas causou reflexo na rodovia, pois os motoristas queriam nos ver. E viram que Guarulhos também luta pelo passe livre”, completou.

 

O MPL ainda não tem data para o terceiro ato contra o aumento da tarifa em Guarulhos. Uma aula pública com Lúcio Gregório, está marcada para o dia 27, sem horário definido.

 

Fonte: Folha Metropolitana