Obras de canalização do rio Baquirivu-Guaçu começam em 2015

0
694

 

Uma audiência pública foi realizada na tarde de ontem, no salão paroquial da Igreja Nossa Senhora do Bonsucesso para tirar as dúvidas da população a respeito das obras de canalização e no entorno do rio Baquirivu-Açu. Durante o evento, foi anunciado que as intervenções serão iniciadas apenas no segundo semestre do ano que vem, e durarão até 36 meses.

A audiência foi organizada pelo deputado estadual Alencar Santana (PT), que deixou claro que o Governo do Estado é o responsável pela obra, e contou com a presença de políticos e líderes empresariais da cidade, além do prefeito Sebastião Almeida e do chefe de gabinete do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica), Giovani Oliveira da Costa, que explicou o projeto.

rio-baquirivu

“O objetivo é minimizar ou acabar com as enchentes nos 20 km que serão canalizados, entre o rio Tietê e a divisa com Arujá. Serão construídos cinco piscinões com capacidade para 2,3 milhões de metros cúbicos de água das chuvas. Faremos também o prolongamento avenida João Jamil Zarif, do aeroporto de Cumbica até a avenida Mário Covas, em Arujá, que beneficiará os moradores das duas cidades, os usuários do aeroporto, e desafogará p trânsito da Via Dutra e da Ayrton Senna”, destacou o representante do DAEE.

Almeida lembrou que as famílias que serão desabrigadas não podem ser esquecidas.

“Quem mora as margens do Baquirivu terá que deixar suas casas, mas irão para um lugar melhor. São 1.800 famílias afetadas, e a partir do ano que vem o cadastramento delas começará a ser feito, para então começar a construção das unidades habitacionais. Nossa intenção é que nenhuma pessoa saia da sua casa para receber auxílio aluguel, e sim direto para um imóvel próprio”, afirmou o prefeito.

O projeto prevê canalização a céu aberto de 20,20 km de extensão, e largura de 20 a 45 metros, além de adequação da infraestrutura viária existente, implantação de sistema de microdrenagem, delimitação e proteção das áreas de várzea e melhorias urbanas na área de intervenção em seu entorno. Será investido R$ 1,4 bilhão, com financiamento Corporação Andina de Fomento (CAF) e do Governo do Estado.

 

Fonte: Guarulhos Hoje