Mesmo recebendo R$ 240 mi, obras de tratamento de esgoto estão paradas

0
1442

 

Mesmo recebendo R$ 240 milhões em recursos direcionados através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) desde 2007, Guarulhos possui quatro obras de saneamento básico paralisadas e outras duas intervenções atrasadas. A constatação faz parte do relatório “De Olho no PAC” divulgado ontem pelo Instituto Trata Brasil.

São Estações de Tratamento de Esgotos (ETE) e outras intervenções que já deveriam estar concluídas, mas que permanecem com problemas desde a primeira avaliação do instituto em 2009.

 

esgoto-guarulhos

 

Duas se referem a ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário – vertentes 2 e 3 e os coletores tronco, estações elevatórias e redes da ETE São Miguel, ambas com contratos assinados em junho de 2007 com valor total de R$ 112 milhões, dos quais R$ 26 milhões já foram liberados através do PAC 1. As intervenções estão com 35,3% e 57% concluídas.

Ainda assinada em 2007, está a ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário – sub bacias SB 08 e SB 09 com interceptores, coletores tronco, estações elevatórias e redes com valor total de R$ 32,2 milhões dos quais R$ 11,4 milhões já foram enviados a cidade também por meio do PAC 1. A obra está com 94% das ações concluídas.

No ano seguinte, ainda pelo PAC 1, a prefeitura assinou um contrato no valor total de R$ R$ 160,3 milhões para a ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário dos Sistemas São João e Bonsucesso com implantação de ETEs, interceptores, coletores tronco e rede. Foram recebidos pelos cofres municipais R$ 107,3 milhões para a obra que consta como atrasada no levantamento feito pelo Trata Brasil com 90% de obra feita.

PAC 2 – Em 2012 o governo federal encaminhou R$ 93,5 milhões para a obra de implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário no bairro Várzea do Palácio com implantação de ETE, interceptores, coletores tronco, estação elevatória e linha de recalque totalizando investimentos da ordem de R$ 133,1 milhões. Foram concluídas até agora 76,2% das obras contempladas pelo PAC 2.

A última obra avaliada pelo instituto teve o contrato assinado em 2014 com valor total de R$ 80,1 milhões e também está paralisada. As intervenções compreendem a complementação dos Sistemas e Esgotamento Sanitário São João, Bonsucesso e bairro Água Azul com coletores tronco, estações elevatórias, linhas de recalque, redes coletoras e ligações prediais. São esperados R$ 76,1 milhões do PAC 2.

Intervenções para ampliação de fornecimento de água sequer começaram – Na relação do instituto Trata Brasil há ainda outras duas obras para abastecimento de água que tiveram os contratos assinados no ano passado pela prefeitura, mas que ainda não foram iniciadas.

A primeira se refere a obras complementares do sistema de abastecimento de água com reservatórios, redes primárias, estação elevatória e redes secundárias com valor de R$ 73,6 milhões dos quais R$ 66,2 milhões serão repassados através do PAC 2. A outra é a ampliação do sistema de abastecimento de água com adutoras, elevatórias, reservatório nos bairros dos Pimentas e Bonsucesso com valor total de R$ 134,2 milhões onde R$ 120,8 milhões é verba do PAC 2.

Em nota o Serviço Autônomo de Água e Esgotos (Saae) de Guarulhos informou que devido ao agravamento da crise hídrica que afeta toda Região Metropolitana de São Paulo foi necessário intervir no cronograma de algumas obras, para priorizar ações de adequação do sistema de abastecimento de água, de modo a possibilitar a distribuição de forma justa e equilibrada do recurso disponível. Obras como extensões de redes têm sido executadas, para minimizar os efeitos da crise hídrica.

 

Fonte: Guarulhos Hoje