Guarulhos avança nas tratativas com o DAEE para o combate às enchentes

0
304

 

O prefeito de Guarulhos, Guti, acompanhado dos secretários de Obras, Francisco Carone, e de Administrações Regionais, Bruno Gersósimo, esteve nesta terça-feira (4) na sede do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) de São Paulo a fim de encaminhar soluções para o combate às enchentes na cidade. Além das questões relacionadas diretamente ao rio Tietê, também foram propostos encaminhamentos para resolver problemas causados nos córregos dos Cubas, Japoneses, Pedrinhas e Botinhas.

 

Guti participou de uma reunião de trabalho que contou com diversos prefeitos e técnicos de cidades do Condemat (Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê), com a presença da superintendente do DAEE, Mara Ramos, e de uma equipe técnica, além de representantes da Secretaria de Habitação do Estado e da Defesa Civil.

 

O encontro teve como objetivo apontar os desdobramentos da primeira reunião, realizada no mês de março, e elaborar estratégias conjuntas a médio e longo prazo para conter as cheias no rio Tietê. Para dar dinamismo ao trabalho os municípios foram divididos em quatro grupos: Arujá e Guarulhos; Biritiba Mirim; Mogi das Cruzes e Salesópolis; Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Poá e Suzano. Os municípios que fazem parte da Bacia do Paraíba (Guararema, Igaratá, Santa Branca e Santa Isabel) formaram um grupo específico para debater melhorias na bacia.

 

No grupo de Guarulhos Guti voltou a propor a construção de um polder (espécie de muro) na região que abrange os bairros Vila Izildinha, Vila Any e Jardim Guaracy, incluindo medidas para realocação de parte das famílias que vivem naquela região, construção de um reservatório de contenção, além do desassoreamento do rio Tietê, o que, segundo o DAEE, deve começar no segundo semestre deste ano naquele trecho.

 

Em relação aos córregos que desaguam no Tietê, os representantes de Guarulhos propuseram uma parceria com o DAEE para obter a autorização e dividir os trabalhos para o desassoreamento dos cursos de água, principalmente nos trechos compreendidos depois das rodovias Presidente Dutra e Ayrton Senna, onde a Prefeitura não pode atuar por não contar com a liberação do órgão estadual.

 

Os prazos para o desassoreamento de trechos do rio Tietê também foram discutidos. De acordo com a equipe técnica do DAEE, a obra nos lotes 3, da Barragem da Penha até Guarulhos, e 4, que compreende Guarulhos até Mogi das Cruzes, devem ter início até novembro deste ano. O investimento nesses lotes será em torno de R$ 200 milhões, com financiamento por meio do Banco Internacional de Desenvolvimento (BID).

 

Já o desassoreamento dos lotes 6 e 7, que compreendem de Mogi das Cruzes até Biritiba Mirim, deve ter a ordem de serviço emitida no próximo mês.  A obra deve custar em torno de R$ 21 milhões e será executada com recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro).

 

Além de Guti, participaram do encontro o presidente do Condemat e prefeito de Mogi das Cruzes, Caio Cunha, e os prefeitos Priscila Gambale (Ferraz de Vasconcelos), Vanderlon Gomes (Salesópolis) e Rodrigo Ashiuchi (Suzano), além de técnicos dos demais municípios consorciados.