GCM resgata 20 animais silvestres feridos ou em situação de risco em 10 dias

0
103

 

A Inspetoria Ambiental da Guarda Civil Municipal (GCM) de Guarulhos resgatou 20 animais silvestres feridos ou em situação de risco nos últimos dez dias por meio de solicitações à Central 153. Foram retirados de risco capivaras, preguiça, filhote de coruja-do-mato, pica-pau, lagarto, maritaca, serpentes e saruês.

 

 

As capivaras, o lagarto e a preguiça não tinham ferimentos e foram soltos em seus habitats naturais pelos agentes. Já as serpentes foram encaminhadas ao Instituto Butantan para cuidados veterinários especializados, bem como as aves, que foram entregues ao Centro de Referência em Animais Silvestres do Parque Ecológico do Tietê (Cras-Pet).

 

Os cuidados são reforçados com relação às aves silvestres, principalmente devido ao estado de emergência zoossanitária em todo o território nacional por um período de 180 dias, desde 22 de maio de 2023, conforme a portaria 587 do Ministério da Agricultura e Pecuária em função da detecção da infecção pelo vírus da influenza aviária H5N1 de alta patogenicidade. Há 13 casos confirmados em oito municípios até o momento, todos em aves silvestres, de acordo com a Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo.

 

Diante do cenário, a GCM, em parceria com Cras-Pet, adotou o protocolo de requerer um vídeo de 15 segundos das aves silvestres aos solicitantes. As imagens são encaminhadas aos especialistas biólogos e médicos veterinários do Parque Ecológico do Tietê, que as analisam e autorizam o envio do animal para os cuidados devidos.

 

O Cras-Pet também acolheu cinco filhotes de saruês, que ficaram órfãos após um cão atacar a mãe. Os agentes da GCM Ambiental resgataram os bebês em segurança e eles passarão por cuidados da equipe de veterinários e biólogos para que cresçam saudáveis.

 

Resgates

 

O munícipe que encontrar algum animal silvestre deve ligar para a Central de Atendimento da Guarda Civil Municipal pelos telefones 2475-9444 ou 153, que funcionam 24 horas, todos os dias da semana. Os atendentes fazem uma triagem ao analisar os casos, pois muitas situações implicam orientações aos cidadãos e são resolvidas pelo atendimento telefônico, e outras requerem a presença dos agentes da especializada no local.