Empresas e indústrias em alerta com racionamento de água em Guarulhos

0
614

O racionamento e a baixa vazão dos rios fizeram com que as indústrias e empresas de Guarulhos ligassem o sinal de alerta para a questão da falta de água na cidade. O risco de um desabastecimento mais rigoroso preocupa as firmas que buscam soluções para que o ritmo das produções e faturamentos não sejam afetados.

O diretor titular do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP regional Guarulhos), Maurício Carlos Colin, aponta duas preocupações vividas pelos empresários locais.

agua-guarulhos

“A primeira questão é o custo adicional, pois é necessário comprar água para não interferir na produção. A outra é que não vemos nenhuma luz para resolver o problema da falta d’água”, explica. Sobre a utilização da água de reuso como solução para minimizar o impacto na economia, o empresário destaca. “É um assunto que está em discussão com o prefeito Sebastião Almeida juntamente com o Saae, mas ainda não temos nada concretizado”, comenta.

Segundo Colin, um racionamento mais rigoroso vai afetar todas as indústrias do município. “Sejam grandes, médias ou pequenas. Independente do porte, todas as empresas poderão ser prejudicadas”, comenta.

 

Lava-Rápidos tentam se adaptar à escassez

 

Os empreendimentos que têm a água como principal insumo, como as empresas de lava-rápido já sentiram as consequências do racionamento e tentam se adaptar à situação. “O que notamos é que as pessoas estão mais conscientes, pois a procura caiu em mais de 50%. Para lavar os carros que chegam, usamos a lavagem de alta pressão que utiliza apenas 30% de água e 70% de energia elétrica”, destaca Jorge Henrique Duarte, de 34 anos.

Já o empresário Flávio Santos, de 32 anos, inovou na forma de economizar com a utilização da lavagem a seco ou ecológica como gosta de chamar. “Os produtos são biodegradáveis e a base de minerais. Uma solução exige apenas 200 ml de água para lavar um carro. Outro produto é totalmente seco e zero água”, explica.

Santos garante que o método pouco trabalhado em Guarulhos é eficaz e não compromete o veículo. “São produtos sem químicas e por isso prolonga a vida útil do carro. Fora o aspecto de encerado que dura por até sete dias”, destaca.

 

Fonte: Guarulhos Hoje