Em parceria com a Prefeitura, coletivo de grafiteiros revitaliza espaço na região central

0
117

 

Um grupo de grafiteiros trabalhou nesta terça-feira (9) na revitalização do espaço existente entre o Bosque Maia e um restaurante de fast-food na avenida Paulo Faccini, região central de Guarulhos. No local, onde existe um empreendimento particular, foi instalado pelo proprietário um tapume no qual 11 grafiteiros pintaram artes sobre a utilização de máscaras, vacina e esperança. A ação foi realizada em parceria com a Subsecretaria de Juventude e não gerou gastos para os cofres públicos, já que até mesmo as tintas utilizadas foram doadas.

 

César Sousa, subsecretário da Juventude, afirma que esse é um modo de trazer esperança para as pessoas. “A avenida é um lugar muito movimentado, então essas artes que falam sobre prevenção, amor e esperança vão atingir muita gente. Além disso, está no caminho de um dos principais polos de vacinação da cidade (o Bosque Maia). E o tema escolhido sensibiliza para o momento que estamos vivendo”, afirmou.

Entre os desenhos estão mensagens de motivação, como uma imagem que mostra o planeta Terra utilizando máscara de proteção e a mensagem “Não desista! Tudo vai ficar bem”, diversas representações a favor da utilização de máscaras e até mesmo de vacinas.

Participaram da ação os artistas Vagner Alan Rodrigues (Bugiganga), Fernando Manoel da Silva Neto (FND), Valdir de Lima Oliveira (BEMIK), Leonardo de Oliveira Ruelo (Uebis), Weverton Sousa Oscar (LouvaD3us), Thiago Dias Cosmo (Thinello), Adriana Maria Barbosa da Silva (Drik), Flávio Modenez Camargo (Moden), Sidney Freitas São Pedro (Napaz), Jonathan Cercone Pires (Goró) e Bianca Oliveira (Bia).

Para Leonardo de Oliveira, conhecido como Uebis, que também participou da pintura do muro do Centro de Combate ao Coronavírus (3C-Gru) em 2020 com o mesmo tema, o grafite tem o poder de mudar os espaços através da arte. “Aqui era um lugar que estava degradado e agora está revitalizado com arte. Quanto mais colorido, mais chamativo e mais legal fica. Os projetos com a Prefeitura acabam fortalecendo a cena e a gente consegue expor o nosso trabalho”, comentou.