Coruja é reabilitada e devolvida à natureza pela equipe do zoológico

0
1427

 

Após um período de 15 dias em reabilitação na clínica do Zoológico Municipal, no Jardim Rosa de França, uma coruja-orelhuda adulta foi devolvida à natureza nesta quarta-feira (7). A soltura foi feita no Bonsucesso, mesma região onde o animal foi encontrado ferido por linha com cerol que se enroscara em suas patas.

 

 

A reabilitação envolveu medicação anti-inflamatória e para dor, alimentação assistida e treinamento de voo, como explica a veterinária do zoo, Camila Mazoni. “Neste caso, os ferimentos não foram tão graves, então após medicação, alimentação e um curto período na voadeira, verificamos que o animal já tinha condições de voltar à liberdade”.

 

A coruja-orelhuda é um dos 16 pássaros feridos por linha de pipa com cerol recebidos neste ano no Zoológico de Guarulhos. Somente na última semana de julho, mês de férias escolares, além da coruja, um periquito-verde e um pica-pau-do-campo foram socorridos pelos veterinários e biólogos do parque.

 

Cerol

 

Conhecido também como cortante, o cerol é uma mistura de vidro moído com cola aplicada na linha de empinar pipa a fim de romper a linha de outras pipas que estejam no ar. Além de afetar os animais, a mistura pode provocar cortes profundos e até matar seres humanos, principalmente quando atinge a artéria carótida, na região do pescoço.

 

No estado de São Paulo, o uso da substância é proibido pela Lei 7.189/86, cujo texto prevê, inclusive, responsabilização dos respectivos responsáveis por menores que venham a se envolver em acidentes.