Simulação de caso de ebola no Aeroporto Internacional de Guarulhos

0
536

 

O governo federal e o governo do Estado de São Paulo realizaram ontem (16), uma simulação da chegada de um paciente com suspeita de ebola no aeroporto de Guarulhos. O objetivo é verificar a correta aplicação dos planos de controle para evitar a disseminação dessa e outras doenças transmissíveis no país, e capacitar os funcionários dos órgãos envolvidos. O exercício foi concliído no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, na capital e contou com a participação de 150 pessoas.

A ação teve início com a simulação da comunicação por parte de um comandante da aeronave às autoridades sanitárias sobre o caso de um passageiro jornalista, que apresentou febre quatro horas depois de ter embarcado em voo para o Brasil. O profissional, segundo a história, trabalhou em Serra Leoa.

ebola-guarulhos

Foi realizada a transferência do avião para uma área remota, isolada do aeroporto. Um funcionário do terminal, que havia sido preparado para atuar como passageiro com os sintomas da doença foi retirado pelas equipes do Corpo de Bombeiros, trajando os equipamentos de proteção individual recomendados e com a ambulância envelopada.

Após receber o primeiro atendimento, foi feita a remoção do suposto paciente pela unidade do Corpo de Bombeiros, até o instituto. Ele recebeu atendimento e foi coletada uma amostra do seu sangue para realização do teste confirmatório.

Enquanto o suposto paciente era transferido e atendido, os profissionais da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) iniciaram as entrevistas individuais com cada um dos supostos passageiros e tripulantes para coletar dados, identificar quem teve ou pode ter tido contato com as secreções corporais ou quem apresentava sintomas semelhantes ao paciente.

Além do Ministério da Saúde e Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, a ação contou com a participação da Polícia Federal, Infraero, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); Instituto de Infectologia Emílio Ribas; Corpo de Bombeiros; Gol Linhas Aéreas e GRU Airport. A simulação não altera o funcionamento normal do aeroporto.

 

Fonte: Guarulhos Hoje