Publicações revelam manifestações da cultura popular em Guarulhos

0
100

 

A essência da Festa da Carpição e as relações entre diferentes grupos e manifestações da cultura popular guarulhense integram duas publicações do Projeto Carpição Ressignificação e Permanência, que são: “Fé, Festas e Culinária” e “Fé, Festas e Violas” (Editora Amiga), obras do produtor cultural e diretor executivo da Tádito Produção, Diego Dionísio. As publicações são parte do projeto contemplado pelo FunCultura realizado com recursos da Lei Aldir Blanc.

 

 

A Festa da Carpição é uma tradição que integra as comemorações da Festa de Nossa Senhora de Bonsucesso. O evento acontece na primeira segunda-feira do mês de agosto, quando os devotos mantêm vivo o hábito de carpir o mato em torno da capela, ação que demonstra profunda relação das pessoas com a terra e, a partir da qual, se construiu toda a história da região.

 

O conteúdo das 96 páginas de “Fé, Festas e Culinária” foi construído a partir das vozes e das experiências de mulheres e homens cozinheiros, pessoas que dedicam seu trabalho a receitas ligadas aos festejos da Carpição. Muito mais que o modo de preparo de pratos da culinária tradicional, seus relatos demonstram afetividade, laços familiares e a memória de seus antepassados em cada comida ou guloseima.

 

Em meio a esses relatos, a edição também reúne fotos e algumas das principais receitas dessa grande tradição culinária, dentre elas, a galinhada preparada pela cozinheira Francisca Moreira, a goiabada cremosa de Vanda Rosa Pacheco de Lima, a carne afogada de Nadir Aparecida Rosa Santiago, a farofa de coração de galinha de Severino Correia, o feijão gordo de Fábio Almeida Dotto, entre outras delícias que despertam curiosidade e apetite.

 

Música e dança

 

“Fé, Festas e Violas” traz a música e a dança como elementos aglutinadores das práticas da cultura popular. Nesse livro com 118 páginas também é possível encontrar fotos e partituras, rico legado com músicas, toadas e cantorias dos grupos ligados à tradição da Carpição.

 

A edição faz referência aos grupos de folias de reis da cidade – Mensageiros dos Santos Reis, Estrela Dalva, Estrela Guia e Vila Carmela – aos grupos de violeiros e de cantores dedicados à preservação das tradicionais modas de viola e da música sertaneja – Quarteto Raiz, Vera Bianca, Kelly Rissuto, Bueno, Oswaldo Viola, Guaru, Juarez Viola, Nascimento, Orquestra de Violeiros Coração da Viola – entre outros, e os grupos de catira Botas de Ouro e Favoritos da Catira.

 

Ao contemplar os grupos e a cultura popular dos festejos da Carpição, Diego Dionísio explica que o foco na ressignificação e permanência objetivou dar continuidade às tradições. “Trazê-las para a atualidade e fazer com que as novas gerações se apropriem delas é uma forma de mantê-las vivas e pulsantes. Essa elaboração sobre como ressignificar a tradição e o mais importante, de como colocar isso em prática sem perder a essência, são os pontos fundamentais dessa discussão”, explica o produtor.

 

As publicações foram destinadas aos integrantes dos grupos que participaram do projeto e, em breve, serão entregues em bibliotecas públicas da cidade para consulta dos munícipes. As duas publicações ficarão disponíveis ainda no site https://www.festadacarpicao.com.br/. A Tadito Produção também fez publicações de conteúdo em vídeo com depoimentos de participantes dos grupos, disponíveis no canal do YouTube da produtora no endereço https://www.youtube.com/channel/UCq3PIm4gGgDCtLZWQMfaMZg.