Prefeitura de Guarulhos anuncia novos gestores do HMU e HMCA

0
461

 

O prefeito de Guarulhos, Guti, anunciou em coletiva de imprensa nesta quinta-feira, 23, os novos gestores do Hospital Municipal de Urgências (HMU) e Hospital Municipal da Criança e Adolescente (HMCA), até então administrados pelo Instituto Gerir.  Após consultar diversas organizações sociais, a Prefeitura contratou a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Birigui, que assume a gestão do HMU e o IDGT (Instituto de Desenvolvimento de Gestão, Tecnologia e Pesquisa em Saúde e Assistência Social) para o HMCA. As duas organizações assumiram as unidades à zero hora desta quinta-feira, 23. Ambas passam a administrar as unidades hospitalares, em caráter de emergência, até 31 de dezembro.

 

Foto: Sidnei Barros/ PMG

 

A Policlínica Paraventi será gerenciada pela própria Secretaria Municipal de Saúde. “Fizemos uma ampla análise no potencial de atendimento destas organizações, para ter a certeza de que as duas conseguirão atender às necessidades de nossa população”, explicou o prefeito.

 

O contrato com o Gerir foi rompido na noite desta terça-feira (22), após a Administração Municipal identificar inconsistências no atendimento prestado pela organização social à população.

 

A escolha das duas organizações sociais se deu após a consulta de condições técnicas e preços a várias entidades de São Paulo e de outros estados brasileiros. A decisão, comunicada ao Conselho Municipal de Saúde nesta quarta-feira, se deu a partir de uma análise das condições e pelos valores apresentados, compatíveis com os reservados pela Prefeitura para os dois hospitais municipais. Pela gestão do HMU, a Santa Casa irá receber R$ 4.450.000,00 por mês, enquanto o IDGT terá R$ 3.950.000,00 pela administração do HMCA.

 

Convênio com o Gerir

 

A contratação do Gerir ocorreu em maio de 2017, devido ao estado de calamidade em que se encontravam o HMU e o HMCA, além da Policlínica Paraventi, até então administrados pela Secretaria Municipal de Saúde, diante do caos financeiro que a atual gestão herdou do governo passado, com uma dívida estimada em R$ 7,4 bilhões, a maior do Estado de São Paulo.

 

“Não podemos admitir que esse impasse prejudique os moradores de Guarulhos. Enquanto realizamos o chamamento para a contratação de novos gestores a partir de janeiro de 2019, contratamos imediatamente duas organizações a fim de garantir o atendimento à população”, explicou Guti. “Já a gestão da Policlínica Paraventi, como já estava previsto, voltou para a Secretaria Municipal de Saúde”, concluiu.