Obras garantem a melhoria contínua do abastecimento de água em Guarulhos

0
127

 

Um conjunto de obras promovidas pela Sabesp irá garantir uma melhoria no abastecimento de água em Guarulhos já em abril. Desde o final de 2019, um ano após a companhia paulista firmar contrato com a Prefeitura e tornar-se responsável pela distribuição de água, o município não sofre mais com o rodízio, problema que era comum nas três décadas anteriores. As novas obras têm como objetivos principais a precaução contra períodos de estiagem, a diminuição de perdas por vazamentos e a maior disponibilidade hídrica de forma geral.

 

 

Uma das mais importantes intervenções é a adutora de 1,5 km que liga a cidade de Itaquaquecetuba ao bairro de Bonsucesso, que irá aumentar a oferta de água em 100 litros por segundo (L/s), o suficiente para abastecer uma população de 30 mil pessoas e o equivalente ao produzido pela Estação e Tratamento de Água (ETA) Tanque Grande, em Guarulhos. Trata-se de uma região em constante expansão, com uma oferta crescente de prédios de apartamentos. “Essa obra dará mais segurança para as empresas investirem em moradias em Bonsucesso e também aos moradores daquela região”, resume Valdemir Viana de Freitas, gerente da Sabesp em Guarulhos.

 

Outra obra relevante, também a ser inaugurada em abril, é a adutora de 2 km que irá transferir a água do sistema Cantareira para o Alto Tietê e que visa a tornar o abastecimento mais confiável, ou seja, menos sujeito a interrupções devido a manutenções na rede ou em períodos de estiagem, como o que aconteceu em 2014 no Estado de São Paulo.

 

Essa intervenção aumentará a oferta de água para toda a região do Pimentas, que responde por cerca de 20% da população guarulhense de acordo com o Censo de 2010 do IBGE, o último disponível. O oposto também pode ocorrer, ou seja, a transferência de água do Alto Tietê para o Cantareira a fim de melhorar o abastecimento na região central, caso necessário. Portanto, essa adutora não beneficia somente os bairros citados, mas Guarulhos como um todo.

 

Caso haja uma diminuição na oferta pela falta de chuvas, a água não mais precisará ser distribuída do Centro para Pimentas, Jardim São João, Lavras e Cumbica, o que torna o sistema como um todo mais confiável. Em Guarulhos, 92% da água distribuída provêm dos sistemas Cantareira e Alto Tietê, contra 8% dos sistemas Tanque Grande e Cabuçu.

 

A terceira intervenção prevista para ser entregue em abril é o novo sistema de bombeamento no Jardim São João, mais moderno e potente, que ampliará em 50 l/s a água distribuída para aquele bairro, para o Jardim Ponte Alta e o Lavras. A obra é necessária já que, com a maior quantidade de água disponibilizada às regiões citadas ao longo dos últimos anos, tornou-se necessária mais potência para distribuí-la. “Desde que firmamos a parceria, a Sabesp tem realizado obras fundamentais para Guarulhos. Acabamos com o rodízio há mais de dois anos, mas essas novas intervenções são fundamentais para que o guarulhense continue tendo água todos os dias em sua casa”, comentou o prefeito Guti.

 

Por fim, a Sabesp, nos últimos três anos, já trocou e substituiu 150 km de redes de distribuição de água por toda a cidade, o que permitiu uma redução de 30% de perdas por vazamentos entre 2019 e 2021. Vale lembrar que as adutoras de Guarulhos eram, em grande parte, muito antigas, haja vista que o extinto Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) foi criado em 1967, antes mesmo do que a Sabesp, fundada em 1973. Além disso, a companhia paulista também trocou 60 mil ramais e 80 válvulas redutoras de pressão com o mesmo objetivo de dirimir as perdas de água por vazamentos.