Idosos abandonam sedentarismo

0
1297

 

A velhice traz oportunidades para transformar velhos hábitos.

 

Já imaginou entrar na terceira idade cultivando o bem-estar? Sim, é possível. Mais de 50 idosos trocaram a cama, o sofá e a TV por atividades físicas, pintura, música e artesanato. A iniciativa faz parte da programação do Centro Dia Vida Plena, que completou um ano no último dia 8 de abril. Instalado em Guarulhos, o Centro é especializado no atendimento a pessoas com mais de 60 anos.

 

Assunto:Idosas do Centro DiaLocal:Núcleo Batuíra-CumbicaData:23.04.2015Foto:Sidnei Barros/PMG
Idosas do Centro Dia Vida Plena / Foto: Sidnei Barros

 

Idosos que costumavam ficar sozinhos em casa durante o dia agora passeiam e praticam atividades físicas no Ibirapuera, Fracalanza e Parque Ecológico do Tietê. Em vez de pantufas, sapatos. Em vez de novelas, ar fresco. Em vez de sedentarismo, qualidade de vida. Esses fundamentos orientam o trabalho do Centro. O serviço é gratuito.

 

Receita para longevidade

 

Auta Honorato Silva completa 80 anos em setembro. É uma das participantes do projeto. Ela revelou seu segredo para longevidade: cuca fresca. “Não esquento com os problemas; preocupar-se só derrete os miolos e não resolve nada”, ensinou descontraída.

 

Auta nasceu em Alagoas. Teve quatro filhos, quatro netos e quatro bisnetos. Foi casada por 36 anos e está viúva há mais de 20. Com sorriso no rosto, comemora o nascimento da bisneta Valentina. “Este mês a família cresceu: ganhamos uma bebê no dia 23 de abril.

 

Sua rotina mudou completamente. “Em casa eu só assistia televisão e fazia tricô; agora, passeio, divirto-me com os colegas, faço pintura em panos de prato e confecciono peças artesanais com palitos de madeira.”

 

Cultivando amizades

 

Daisy Pereira Giraldi tem 87 anos de idade. No Centro ela encontrou motivos para alegrar-se. “Gosto daqui. As pessoas são muito simpáticas e eu conquistei novas amizades”, afirmou. Mora na Vila Galvão, em Guarulhos. Foi casada e celebrou bodas de ouro. Hoje, é viúva. As lembranças dos familiares que morreram são as que mais deixam Daisy triste. Agora, seu único sonho é viver com saúde.

 

Superando a solidão

 

Maria Pereira Santiago Ferreira tem 64 anos. É funcionária pública estadual aposentada. Um acontecimento mudou repentinamente sua vida: a morte do marido, com quem foi casada por 39 anos. “Eu fiquei em depressão. Não saía de casa e passava o dia inteiro sozinha”, conta. Maria tem apenas um filho. Veio para Guarulhos para ficar mais perto dele e encontrou no Centro uma alternativa para sair do isolamento social. “Aqui  fico bem-humorada, adoro dançar, passear e conversar.”

 

Profissionais em ação

 

Os idosos são auxiliados por um fisioterapeuta que estimula a psicomotricidade e fortalecimento muscular, respeitando suas condições clínicas. Psicólogos e assistentes sociais dão um “upgrade” na autoestima durante as reuniões de socialização. Uma profissional de beleza cuida do visual das idosas a cada dois meses.

 

Investimento

 

O projeto, financiado pela Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social, conta com um investimento anual de aproximadamente R$ 164 mil e é administrado de forma compartilhada pelo Núcleo Batuíra. São atendidas famílias inscritas no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais) e no Cras (Centro de Referência de Assistência Social).

 

Serviço

 

O Centro Dia fica na rua Renato Ometi, 65, em Cumbica. O horário de funcionamento é das 7h às 18h30, de segunda a sexta-feira.

Mais informações pelo telefone 2412-2186.

 

Fonte: Prefeitura de Guarulhos