Guarulhos terá força tarefa de fiscalização do CREA

0
75

 

A Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Guarulhos (Asseag) sediou nesta quarta-feira (13.10) um evento que marcou o início dos trabalhos de uma força tarefa de fiscalização a obras, postos de combustíveis e empresas em geral no município. Até o dia 22 deste mês, o número de fiscais aumentará de 3 para 12, com o objetivo de educar, alertar e autuar irregularidades do setor, capazes de colocar em risco patrimônios e vidas.

 

Entidades se unem para garantir fiscalização – Foto: Divulgação

 

 De acordo com Gilmar Godoy, presidente da Asseag, a fiscalização visa aumentar a segurança da sociedade, visto que obras sem profissionais devidamente habilitados podem incorrer em danos financeiros e em casos mais graves até mesmo colocando vidas em risco. “Os fiscais atuarão a partir de denúncias e de vistorias constantes. Caso detectem qualquer anormalidade deverão orientar como objetivo não exclusivamente punitivo, mas principalmente de esclarecimento”, reforça Godoy.

 

Rubens Roque Moraes, tecnólogo e chefe de equipe da Unidade de Gestão de Inspetorias (UGI), que agrega os municípios de Guarulhos, Santa Isabel, Mairiporã e Arujá explica que o CREA irá fiscalizar as empresas que não estão ligadas à entidade, assim como as que estão com o registro em fase de vencimento. “Todo trabalho técnico exige que exista um profissional capacitado para fazer a gestão do serviço. A fiscalização permite que haja maior segurança para a população que contará com mão- de -obra qualificada e para os profissionais que receberão um mercado aberto e ético”.  Estima-se que 200 empresas serão fiscalizadas. Guarulhos já possui 50 denúncias elencadas pelo CREA-SP. As denúncias podem ser realizadas pelo link: Denúncias no CREA-SP.

 

Em anos anteriores, a incidência mais comum  diz respeito a  obras sem responsável técnico, que estão atreladas a ação de engenheiros civis. O CREA-SP possui em torno de 350 mil profissionais e 95 mil empresas, distribuídos em oito câmaras. A ação é conjunta com a prefeitura, que poderá aplicar o código de obras do município. As punições variam de autuação até cassação do direito de atuar, em casos de reincidência e dependendo da gravidade constatada.

 

Estiveram presentes no evento de abertura: o presidente da Asseag, Gilmar Vigiori Godoy; Rubens Roque Moraes, tecnólogo e chefe de equipe da  Unidade de Gestão de Inspetorias (UGI); Ricardo de Deus Carvalhal, Diretor de Valores Profissionais do CREA-SP; Liucius do Amaral, chefe do gabinete da Secretaria de Meio Ambiente de Guarulhos; Antonio Fernandes, assessor da Câmara Municipal de Guarulhos; Laerte Rodrigues Nunes, Inspetor Chefe de Guarulhos; Rubens Roque de Moraes , chefe da equipe CREA- SP.