Excesso de cargos comissionados na Câmara será investigado

0
501

 

Ministério Público de São Paulo instaurou inquérito civil para apurar o excesso de cargos comissionados na Câmara Municipal de Guarulhos e de um suposto superfaturamento nos serviços contratos em 2013, segundo reportagem do G1 desta quarta-feira, 22. Na época, presidia a Casa de Leis Eduardo Soltur (PSD).

 

camara-de-guarulhos
Foto de Karina Yamada

 

De acordo com o relatório encaminhado pelo Tribunal de Contas do Estado, que reprovou a prestação de contas da Câmara daquele ano, 562 pessoas ocupavam cargos de confiança na Casa de Leis, enquanto 196 profissionais eram concursados. Ou seja, 74% dos funcionários eram assessores ou chefes, mesmo sem subordinados suficientes.

 

A reportagem do G1 procurou a assessoria da Câmara, mas não obteve respostas até a publicação da matéria.

 

Também em 2013, o TCE encontrou ao menos dez irregularidades em um contrato de R$ 1,7 milhão entre a Prefeitura de Guarulhos e a transportadora Transpérola, registrada no nome da ex-mulher de Soltur, Karina Celeste Moura. Segundo o órgão, a empresa estaria sendo comandada pelo vereador.

 

Em outro contrato também de 2013, a administração municipal alugou 18 vans. Porém em reportagem no final daquele ano, o Bom Dia São Paulo mostrou que um dos motoristas admitiu que não havia nem metade dos veículos na garagem. Soltur e a Transpérola sempre negaram as acusações.

 

A Transpérola disse que não tem relação com o vereador e que tampouco existe proibição legal à participação em licitações de empresas de parentes de pessoas que exercem mandatos eletivos.

 

Fonte: Click Guarulhos