Coordenadoria discute parceria com a Cáritas Arquidiocesana de São Paulo

0
487

 

A Coordenadoria de Igualdade Racial (CIR) visitou a instituição Cáritas Arquidiocesana de São Paulo, localizada no município de São Paulo. O  objetivo foi apresentar a o novo gestor da pasta de Igualdade Racial e responsável pela construção da política de atenção aos migrantes em Guarulhos, e tratar do atual panorama das políticas de migração e refúgio, bem como o fortalecimento do fluxo estabelecido pelo serviço do Posto Humanizado e a rede de atenção ao migrante da Capital.

 

logo-caritas

 

A Cáritas é a instituição responsável pela formalização dos pedidos de refúgio realizados no Estado de São Paulo e a principal receptora da demanda de solicitantes de refúgio atendidos no Aeroporto Internacional de Guarulhos, sendo que, o Posto Humanizado atendeu cerca 345 imigrantes nessa situação em 216.

 

A coordenadora do Centro de Referência para Refugiados, Maria Cristina Morelli, reafirmou a importância na manutenção do convênio de cooperação técnico-institucional, celebrado entre os diversos órgãos federais e a Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social,  para o oferecimento de um atendimento humanizado aos estrangeiros solicitantes de refúgio e apátridas no Aeroporto, cuja eficácia é constantemente monitorada pela rede.

 

Na oportunidade o coordenador da CIR, Anderson Guimarães, enfatizou que as questões migratórias são pautas de grande relevância nesta gestão, cabendo à CIR realizar as interlocuções necessárias para viabilizar a construção e efetivação dessa política. A Cáritas, de imediato, se colocou à disposição para auxiliar na capacitação da rede local que está sendo estruturada pela Coordenadoria. Além dos membros da Coordenadoria, participaram do encontro a coordenadora do Centro de Referência para Refugiados e a advogada Larissa Leite.

 

Cáritas

 

A Cáritas Brasileira é uma das poucas entidades que prestam serviços de acolhida e integração a refugiados no Brasil, contando com diversos parceiros, como a  Agência da ONU para Refugiados (Acnur) e o Ministério da Justiça para a realização dos programas de Acolhimento, Proteção Legal e Integração Local.

 

Ela é responsável pelas postulações e requerimentos das solicitações de pedido de refúgio junto ao Conselho Nacional de Refugiados (CONARE), acolhe a demanda do Posto Humanizado e realiza a interlocução com a Rede de Atenção da Capital nos diversos serviços de albergamento, saúde, assistência social, trabalho e geração de rende, dentre outros.