Casos de violência contra a mulher aumentam no primeiro semestre deste ano

0
97

 

A quantidade de boletins de ocorrência de violência contra a mulher registrados em Guarulhos aumentou no primeiro semestre de 2021. As delegacias da cidade registraram 4.901 BOs, contra 3.694 no mesmo período de 2020. As ocorrências englobam lesão corporal e maus-tratos, calúnia, difamação, injúria e constrangimento ilegal, ameaça, aliciamento, assédio, instigação ou constrangimento, violação de domicílio ou dano, estupro (tentativa e consumado) e outros crimes contra a dignidade sexual.

 

 

As informações foram disponibilizadas no Mapa da Violência Contra a Mulher e o documento pode ser conferido no link https://bit.ly/MapadaViolênciaGru. Os dados foram obtidos no Registro Digital de Ocorrências (RDO) da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e analisados pelas equipes da Subsecretaria de Políticas para Mulheres de Guarulhos.

 

“A coleta dessas informações nos ajuda a direcionar as ações. Por exemplo, estamos em tratativa para a implantação de mais centros de referência na cidade, exatamente nas regiões com números mais altos de BOs, assim como reuniões e palestras sobre o combate à violência contra a mulher. É triste observar esse crescente nas denúncias e já estamos preparando a ampliação de ações para reverter a situação”, disse a subsecretária Verinha Souza.

 

Em todo o ano de 2020 a cidade registrou 6.430 boletins, número que, apesar de menor do que nos outros anos (em 2019 foram 7.684 e em 2018, 7.911), trouxe uma preocupação, pois, por conta do isolamento social causado pela pandemia, muitas mulheres estavam impedidas de pedir ajuda por meio de denúncias.

 

Entre os bairros com maior percentual de denúncias estão Pimentas, Bonsucesso, Cabuçu, Taboão e São João. No Pimentas, 580 boletins foram registrados. Destes, 234 por ameaça, 144 por lesão corporal, 128 por calúnia, difamação e injúria, 42 por violação de domicilio e 26 por estupro. O segundo bairro mais violento para mulheres, Bonsucesso, contou com 383 registros e o terceiro, Cabuçu, com 342.