Base Aérea treina cães

0
1051

 

Fundado há mais de treze anos, o canil da Base Aérea de São Paulo (Basp), sediado na região Cumbica, treina cães para diferentes tarefas desempenhadas pela Força Aérea Brasileira (FAB). Embora tenham a doçura típica de todo pet, lá eles são verdadeiros guardas, auxiliando o Batalhão de Infantaria com a segurança do efetivo, das instalações e das missões externas do quartel. Com seus focinhos ágeis fazem policiamento, patrulha e faro de entorpecentes em ações especiais.

 

caes-base-aerea

Interação – Focinhos treinados farejam entorpecentes em ações especiais (Foto: Lucas Dantas)

 

A turma de quadrúpedes atualmente é composta por cinco pastores belgas de malinois – Kitty, Hera, Akira, Safira e Bradock -, e um labrador, Ulogan. “Eles são treinados desde os três meses de vida, tendo o instinto de caça e faro aguçados a partir de brincadeiras”, explicou o soldado Felipe Souza, um dos adestradores do canil. O soldado argumenta que o treinamento completo, para que o cão exerça plenamente as tarefas, leva de um ano e meio a três anos, com treinos de 40 minutos, em média, durante cinco vezes por semana.

 

Para a plena atividade dos cães, que são treinados frequentemente, são vários os cuidados. “Para preservar a saúde dos cães, todos recebem alimentação balanceada, vacinação e vermifugação periódicas, banhos quinzenais e controle frequente de parasitas”, contou o adestrador.

 

Um show especial para 55 meninos

 

Uma das últimas apresentações de performances dos cães foi no mês passado, para 55 meninos do Projeto Profesp – Força no Esporte, que oferece atividades e cursos a crianças e adolescentes de baixa renda, moradores da região de Cumbica. Com o labrador Ulogan a interação foi garantida. Depois de apresentar sua obediência aos comandos básicos, como senta e deita, recebeu carinho e petisco dos meninos, que disputaram a oportunidade de se aproximar do grande labrador.

 

Aos veteranos, apenas repouso

 

Nos recintos ainda moram os dois pastores, Zeus e Gracco, que cumpriram sua missão e estão aposentados, ambos com oito anos. “O Zeus já foi premiado no campeonato de cães de polícia promovido pelo Exército Brasileiro, em, 2012”, comentou o soldado Souza. A veterinária responsável, tenente Daniela Martins Luciano, comenta que a faixa etária de oito anos é a indicada para a aposentadoria, uma vez que nessa fase o desempenho já não é o mesmo e o cão precisa de uma rotina mais tranquila.

 

Ações na copa do mundo

 

Os cães da Basp já atuaram em ações como as de segurança a Copa do Mundo, em 2014, missões presidenciais, apoio à tropa de choque, escolta de presos militares e em apresentações para crianças de escolas municipais e estaduais da região e do Projeto Profesp – Forças no Esporte.

 

Fonte: Folha Metropolitana