Vacinação contra a gripe começa segunda-feira para cinco grupos

0
39

 

Guarulhos inicia na próxima segunda-feira (12) a 23ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (gripe). Nesta primeira etapa devem tomar a vacina todas as crianças de seis meses a menores de seis anos (cinco anos, 11 meses e 29 dias), trabalhadores da saúde, gestantes, mulheres no período até 45 dias após o parto (puérperas) e povos indígenas. As doses serão disponibilizadas em 66 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e também no Ambulatório da Criança (Centro), das 8h às 16h.

 

Foto: Fábio Nunes Teixeira/PMG

 

Com exceção das UBS Paulista, Dona Luíza e Alvorada, todas as demais irão vacinar contra a gripe. A Campanha de Vacinação contra a Influenza se estende até o dia 9 de julho e coincidirá com o período de imunização contra a Covid-19. No entanto, as duas vacinas não podem ser administradas ao mesmo tempo, devendo-se respeitar o intervalo mínimo de 14 dias entre os dois imunizantes. Por isso, é importante que as pessoas levem a carteirinha de vacinação, além de documento com foto.

 

Meta

 

A meta é imunizar 90% de cada público-alvo contemplado pela campanha, incluindo os demais grupos que serão beneficiados nas fases seguintes: idosos de 60 anos ou mais e professores (a partir de 11/05), além de portadores de comorbidades, pessoas com deficiências, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário, portuários, profissionais das forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade e adolescentes e jovens sob medida socioeducativa (a partir de 09/06).

 

De acordo com o informe técnico da Secretaria Estadual da Saúde, a vacinação contra a influenza permitirá, ao longo de 2021, prevenir o surgimento de complicações decorrentes da doença, óbitos e suas consequências sobre os serviços de saúde, além de minimizar a carga da doença, reduzindo os sintomas que podem ser confundidos com os da covid-19. Tem por objetivo também reduzir as consultas ambulatoriais e os atendimentos em serviços de emergência em decorrência da gripe.

 

O documento técnico estadual ressalta que em um cenário de saturação dos serviços de saúde, em razão do aumento no número de casos de covid-19, a vacinação contra a influenza assume particular relevância para proteger populações vulneráveis em risco de desenvolver formas graves da doença e reduzir o impacto das complicações respiratórias atribuídas à influenza na população, aliviando a sobrecarga no sistema de saúde durante a pandemia.