Troféu Centenário homenageia idosa que foi parteira por mais de 40 anos

0
1153

 

Guarulhos irá homenagear todos os idosos do município com mais de 100 anos de idade com um chá da tarde e a entrega do Troféu Centenário, que está em sua 5ª edição, no dia 13 de dezembro, às 16 horas, no Adamastor Centro. As inscrições vão até o dia 1º de dezembro, pelo telefone 2087-7408 (com Fernanda). Uma das homenageadas será Otacília Gomes de Oliveira, de 108 anos, que foi parteira por mais de 40 anos, ajudando a trazer ao mundo milhares de bebês, e ainda benzedeira e costureira.

 

Foto: Fábio Nunes Teixeira / PMG

 

Caminhando com ajuda de andador, ela não tem graves problemas de saúde, apenas a surdez e labirintite. Nascida em Santana do Ipanema, Alagoas, ela ficou viúva há três anos, de um casamento de 84 anos. Teve 15 filhos e, entre netos, bisnetos e tataranetos são 62 descendentes. Vive no Jardim Paraventi com o filho mais novo, o Benê, e sua esposa desde 1976, quando veio morar em Guarulhos.

 

Em Alagoas, morava na roça e lavrava arroz, feijão, milho e mandioca. Em 1943, com o marido e todos os filhos, enfrentou 18 dias de viagem de pau de arara para o estado de São Paulo. Foi tentar a vida em Lucélia (município distante cerca de 590 km da capital paulista), onde arrendou terras para plantar e, 18 anos depois, como não estava rendendo muito, mudou-se com os filhos para a Vila Sabrina (zona norte de São Paulo).

 

Parteira, Otacília contou ter realizado milhares de partos durante mais de 40 anos. “Nunca errei. Nunca faleceu nenhum na minha mão. Tive muita sorte”, contou a idosa que não teve oportunidade de estudar.

 

Ela também costurava e gostava do ofício. “Já fui pau de toda obra, só não de matar cobra”, justificou rindo. Católica devota do Padre Cícero, ela confeccionou uma batina para ele. Além disso, por muitos anos, foi benzedeira e muito procurada pelas receitas de chás e banhos de ervas. “Benzi muitas crianças que choravam com dor de barriga e no outro dia estavam bem”, disse.

 

A centenária adora doces e, suas refeições incluem arroz, feijão, macarrão, tutu de farinha com feijão, frango e costela. Vaidosa, ela pede todos os dias ao filho para lhe colocar os brincos e os anéis que exibe nos dedos. Indagada sobre o segredo de viver muito, Otacília olha pra cima e aponta: “Só aquele Pai que sabe, eu não sei. Só trabalhei para o bem. Faço tudo para não fazer ofensa”, responde completando: “A vida é boa para quem sabe viver. E saber viver é gostar de todo mundo e não falar mal dos outros”, revela a Otacília.

 

Serviço

 

5º Troféu Centenário

 

Inscrições: Telefone 2087-7408, na Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social (com Fernanda)