Três corujas são resgatadas pela GCM feridas por linhas de pipa com cerol

0
100

 

A Inspetoria Ambiental da Guarda Civil Municipal (GCM) de Guarulhos resgatou corujas feridas por linhas cortantes de pipa entre sexta (24) e segunda-feira (27) nos bairros Jardim Nova Cidade, Cumbica e Jardim São João. Todas as aves foram encaminhadas ao Zoológico Municipal para cuidados veterinários.

 

 

Na ocorrência mais recente a ave da espécie coruja-diabo foi localizada com um corte muito extenso no patágio, a membrana que liga as patas dianteiras às traseiras e que tem a função de fazer diversos animais planarem, e faleceu logo que chegou ao zoológico. A equipe veterinária avaliou que o animal sofreu uma grande perda de sangue devido ao corte e à ação de parasitas em seu corpo.

 

Além dos machucados por linha com cerol, o corpo e as penas de uma coruja-orelhuda estavam impregnados de uma cola muito densa, que os médicos veterinários suspeitam ser usada para capturar roedores. Ela está em observação e sendo cuidada para que o produto saia completamente sem causar mais ferimentos.

 

Outra espécie salva pelas equipes foi uma coruja-buraqueira. Ela estava enroscada em linha de pipa e segue em tratamento para sua recuperação total.

 

Cerol e linha chilena

 

Os pássaros são grandes vítimas do uso do cerol, mistura de cola com vidro moído, e da linha chilena, feita de cola com óxido de alumínio e pó de quartzo. O uso, fabricação e comercialização desses produtos é crime previsto pela lei municipal 7.768/2019, com multa de até 1,4 mil reais. As denúncias podem ser feitas à GCM pelo telefone 153 e não é necessário se identificar.