Serviços do HMU podem paralisar por conta de dívida de R$ 30 milhões

0
634

 

Uma dívida de cerca de R$ 30 milhões da Prefeitura de Guarulhos com o Instituto Gerir pode comprometer o atendimento à população no Hospital Municipal de Urgências (HMU). Depois que assumiu a administração da unidade hospitalar, em 2 de maio do ano passado, o instituto criou 30 novos leitos de emergência, inaugurou uma recepção dentro de modernos padrões preconizados para atendimento humanizado, tanto dos pacientes, como dos acompanhantes. Mas os atrasos constantes por parte da Prefeitura levaram a uma situação pré-falimentar do HMU.

 

 

A tendência, pela defasagem mensal na cobertura dos custos, é de que a dívida continue aumentando. Até pelo fato de que em razão da melhora no atendimento (com a criação dos novos leitos de emergência, por exemplo, o hospital passou a ter um custo mensal 30% maior do que antes). Existe, agora, uma UTI de última geração praticamente pronta, que só precisa do pagamento por parte da Prefeitura para ser inaugurada.

 

Outro grande problema está relacionado ao médicos, que não recebem seus proventos desde maio. O repasse da Prefeitura de Guarulhos acontece, geralmente, na primeira semana do mês, se houver mais um atraso, as possibilidades de uma paralisação são grandes.

 

Fonte: Click Guarulhos