Saae pesquisa imóveis abastecidos pelo Reservatório do Gopoúva

0
850

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Guarulhos inicia nesta quarta-feira, dia 13, uma pesquisa de campo em imóveis abastecidos pelo Reservatório Gopoúva, que recebe água do Sistema Cantareira. O objetivo é levantar o número de pessoas, a capacidade de reserva da caixa-d’água e se os pontos de abastecimento (como descargas, chuveiros e torneiras) estão ligados diretamente à caixa ou à rede pública de abastecimento.

 saae-guarulhos

Os trabalhos serão realizados pela empresa Monitora Tecnologia e Informação, que foi contratada por meio de processo de licitação. O prazo de execução dessas inspeções é de quatro meses.

Os imóveis a serem visitados são aqueles onde houve queixas de falta de água a partir de janeiro deste ano, considerando as Ordens de Serviços (OSs) abertas por meio dos canais de atendimento do Saae. Diariamente, serão feitas cerca de 60 inspeções, totalizando, aproximadamente, cinco mil imóveis (entre residências, comércios e indústrias) até dezembro, quando os trabalhos serão concluídos.

A meta do Saae com essa ação é fazer um diagnóstico do abastecimento, levando em consideração as instalações hidráulicas internas dos imóveis. No momento da inspeção, o funcionário da empresa Monitora dará orientações e entregará os folhetos A importância da caixa-d’água residencial e Vazamentos. Como encontrar e o que fazer.; ambos já estão à disposição dos usuários nas unidades do Fácil–Central de Atendimento ao Cidadão.

 

Como identificar a equipe de pesquisa

 

Três funcionários da empresa Monitora Tecnologia e Informação serão responsáveis pela realização das inspeções nos imóveis (a partir desta quarta-feira, dia 13) de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17 horas. Eles devem usar crachá, uniforme e veículo com logotipo da Monitora e com a expressão “A Serviço do Saae”.

O Saae de Guarulhos coloca à disposição dos usuários a Central de Atendimento Telefônico 0800-101042, para tirar dúvidas ou obter mais informações. A ligação é gratuita. A central funciona 24 horas, inclusive nos fins de semana e feriados.

 

Caixa-d’água adequada ajuda a enfrentar a crise hídrica

 

Vale lembrar que Guarulhos está sendo abastecida pelo sistema de rodízio de um dia com água para um dia sem água desde 14 de março deste ano, quando foi imposto um racionamento por parte da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), que reduziu o volume de água fornecido pelo Sistema Cantareira (redução de 390 litros por segundo do total de 2.500 litros por segundo). Diretamente, 850 mil moradores são afetados, mas, como o sistema é interligado e dinâmico, funcionando de acordo com o consumo, toda população da cidade é atingida, já que o Saae adota por prática distribuir de forma justa a água disponível.

Para enfrentar estes tempos de racionamento com menos desconforto, é importante que o imóvel tenha caixa-d’água adequada para o consumo familiar; a caixa-d’água ajuda a evitar que falte água quando o abastecimento tiver de ser interrompido. Para que a caixa-d’água funcione bem, é importante que tenha capacidade adequada ao número de pessoas: de 1 a 3 moradores, caixa de 500 litros; de 4 a 5 moradores, caixa de 1.000 litros; de 6 a 8 moradores: caixa de 1.500 litros; de 9 a 10 moradores, caixa de 2.000 litros. Além disso, os pontos de abastecimento do imóvel – como descargas, chuveiros e torneiras – devem estar ligados diretamente à caixa-d’água, e não à rede pública.

Ao mesmo tempo, para que o abastecimento não seja prejudicado ainda mais, é fundamental que todos colaborem como sempre têm colaborado, ajudando com o uso cada vez mais racional de água. Agora, mais do que nunca, é tempo de economizar. Para incentivar o uso racional da água, o Saae está oferecendo descontos para quem diminuir o consumo.

Guarulhos tem 1,3 milhão de moradores e está localizada numa região de rios com pouca água, por isso é obrigada a comprar por atacado 87% de sua água da Sabesp, por meio dos Sistemas Cantareira (62%) e Alto Tietê (25%); os outros 13% equivalem à produção própria do município. Para abastecer toda a população, a cidade precisaria receber 4,5 mil litros de água por segundo. Antes do racionamento imposto a Guarulhos pela Sabesp, a cidade tinha disponível para distribuição 4 mil litros por segundo; ou seja, já havia um déficit de 500 litros por segundo. Após o racionamento imposto pela Sabesp Guarulhos passou a ter disponível para distribuição 3,6 mil litros de água por segundo. Não se trata, portanto, de um problema de distribuição, mas sim de oferta de água.

 

Fonte: Prefeitura de Guarulhos