Saae desperdiça muita água

0
437

 

A economia de água feita pelo guarulhense no ano passado foi três vezes menor que o volume de perdas do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Guarulhos. O jornal Guarulhos Hoje apurou que a economia gerada pela população no período foi de 13,5% enquanto o desperdício da autarquia municipal é de 37,2%.
O índice de perdas está baseado no Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) 2012, dados oficiais disponíveis para o Setor Saneamento.

 

saae-desperdicio

A perda total corresponde à soma de duas parcelas: perda física (que corresponde, principalmente, aos vazamentos visíveis e não visíveis na rede) e perda aparente ou de faturamento (causada, principalmente, por imprecisão nos hidrômetros, portanto não é desperdício de água potável).

Com a economia o Saae não cogita adotar medidas punitivas como as que foram aplicadas pelo governo do estado na maioria das cidades operadas pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Nesses municípios, haverá uma sobretaxa sobre o consumo da água, que equivale à metade do que é cobrado pela Sabesp. Para isso, os valores de reajuste subiram 40%, para quem consumir até 20% a mais de água, e 100%, para quem consumir mais de 20%.

De acordo com a autarquia a média de consumo da cidade nos nove meses anteriores à crise era de cerca de 4.033 litros por segundo ou 10,4 milhões de metros cúbicos por mês.

Nos últimos meses, esse consumo passou para 3.553 litros por segundo ou 9,2 milhões de metros cúbicos por mês. Entre janeiro e março do ano passado a média de consumo era de 163,25 litros por habitante por dia. De abril a setembro houve uma queda de 14,2% nessa média, que despencou para 142,95 litros/habitante/dia.

Desde março do ano passado, mais de um milhão de guarulhenses vivem sob um racionamento de água. A medida se intensificou após a Sabesp reduzir o fornecimento do liquido para a cidade.

 

Reservatórios

 

Com a estiagem as quedas nos principais sistemas que abastecem Guarulhos continuam a ser registradas.

Até ontem o sistema Cantareira estava com 6,4% de sua capacidade e o Alto Tietê com 11,3%. Ambos são responsáveis por 62% e 25%, respectivamente, do abastecimento da cidade. Já os outros 13% são de fontes próprias do município.

 

Fonte: Guarulhos Hoje