Saae contrata 10 caminhões-pipa

0
511

 

Após a redução do volume de água disponibilizado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), que atualmente está com uma vazão média de 3.076 l/s, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Guarulhos contratou 10 novos caminhões-pipa para atender emergencialmente os equipamentos públicos da cidade como escolas, creches e unidades de saúde.

O Saae possui 14 veículos próprios e tinha um contrato de locação de mais cinco caminhões, para atender a demanda eventual que surgisse. O valor gasto com locação dos caminhões-pipa neste ano foi de, aproximadamente, R$ 1,2 milhão. Esses recursos são provenientes do orçamento anual da autarquia municipal para essa finalidade (locação de veículos).

caminhão-pipa-guarulhos

O contrato determina apenas a locação do veículo com o motorista, já a água é oriunda de um dos 23 reservatórios da cidade que possuem capacidade de 130 milhões de litros de reservação. Segundo o Saae, os equipamentos considerados prioritários são abastecidos quando a água reservada na caixa d’água predial não é suficiente para a demanda. Diariamente cerca de 26 unidades educacionais são abastecidas, cada uma com um caminhão-pipa, de acordo com a Secretaria da Educação.

O sistema de abastecimento de água do município atende 99,5% (SNIS 2012) da população. Cerca de 13% da água disponibilizada provém de sistemas produtores próprios, operados pelo Saae, que utilizam captações superficiais e subterrâneas (poços profundos), e os restantes 87% do Sistema Adutor Metropolitano, operado pela Sabesp (dos quais 62% do Sistema Cantareira e 25% do Sistema Alto Tietê). Até ontem o sistema Cantareira estava com 3,3% de sua capacidade. Já o Alto Tietê com 8,5%.

 

Racionamento

 

Desde 14 de março deste ano, quando a Sabesp impôs o racionamento ao município, reduzindo de 2.500 l/s para 2.100 l/s a oferta de água advinda do Sistema Cantareira, a distribuição de água vem sendo feita por meio de rodízio, na proporção de um dia com água e um dia sem, ou seja, metade da cidade tem água num dia e a outra metade no outro. O rodízio evita que sempre as mesmas pessoas fiquem sem água.

 

Dessa forma, toda população da cidade é atingida pelo rodízio. Atualmente a demanda total da cidade é de cerca de 4.500 litros por segundo, contra uma oferta total de apenas 3.600 l/s (500 l/s produzidos pelo Saae, 2.100 l/s provenientes do Sistema Cantareira e os restantes 1.000 l/s do Sistema Alto Tietê).

 

Fonte: Guarulhos Hoje