Restaurante de rede de fast-food é autuado por descumprir regras do Plano São Paulo

0
182

 

Um restaurante de uma conhecida rede de fast-food foi autuado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SDU) de Guarulhos na noite desta quinta-feira (28), no centro da cidade, quando os fiscais verificaram que o local estava oferecendo consumo no salão para os clientes, o que está proibido após as 20h por conta da classificação vermelha do Plano São Paulo, do Governo do Estado.

 

Além deste, outros cinco estabelecimentos foram autuados nos bairros Jardim Maia, Vila São Rafael, Jardim Capri e Centro. Quatro por também desrespeitarem as determinações de horário para atendimento presencial e um por falta de licença de funcionamento. Todos os estabelecimentos tiveram de encerrar suas atividades naquele momento.

“Os comerciantes precisam ter responsabilidade com a vida dos seus clientes. Não estamos interessados em prejudicar ninguém com as fiscalizações, apenas ajudar a manter os números do coronavírus o mais baixo possível”, argumentou Bruno Gersósimo, secretário de Desenvolvimento Urbano.

Os fiscais da SDU também fiscalizaram diversos outros locais, como os restaurantes e baladas da rua Tapajós e da rua São Jorge, ambos na região central, que estavam todos fechados. Uma academia, no Parque Mikail, foi denunciada por estar funcionando fora do horário permitido, mas estava fechada quando os fiscais chegaram ao local.

Qualquer estabelecimento que não esteja cumprindo as determinações de segurança e higienização pode ser denunciado pelos números 153 ou 2453-6700 / 6701 / 6705.

 

 

Plano São Paulo

Desde a última segunda-feira (25), a cidade de Guarulhos foi reclassificada no Plano São Paulo, idealizado pelo governo estadual para a contenção do coronavírus.

Na fase laranja, onde Guarulhos está no momento, shoppings, comércios, galerias e serviços poderão funcionar com ocupação máxima de 40%, inclusive nas praças de alimentação. Bares não poderão ter atendimento presencial e restaurantes podem abrir com capacidade reduzida apenas até as 20h.

Já na fase vermelha, em que todo o Estado de São Paulo entra entre as 20h e 6h e aos finais de semana, apenas serviços essenciais como mercados, feiras livres, farmácias, equipamentos de saúde, postos de combustíveis etc. podem funcionar. Bares, restaurantes, salões de cabeleireiro, academias, lojas, entre outros, não poderão abrir.

Os equipamentos que não puderem abrir ao público para atendimento presencial poderão continuar com as suas vendas de forma online ou por telefone e realizando retiradas ou entregas.