Pró-Vítima abre inscrições para curso gratuito de Defesa Pessoal

0
67

 

O Instituto Brasileiro de Atenção e Proteção Integral a Vítimas (Pró-Vítima) está com inscrições abertas para o curso de Defesa Pessoal. A atividade, que faz parte do projeto Defenda-se, é 100% gratuita e visa despertar a consciência nas mulheres quanto a situações de agressão em diversos ambientes e capacitá-las contra ataques e violência doméstica.

As aulas de autodefesa e de segurança pessoal serão oferecidas, em formato presencial, a partir desta quarta-feira (6/3), das 16h às 18h, no Auditório da União Geral dos Trabalhadores (UGT) – parceira do Pró-Vítima na iniciativa. Para participar, é preciso fazer inscrição prévia no site www.provitima.org.

 

De acordo com a presidente da entidade e uma das idealizadoras do projeto, a promotora de Justiça Celeste Leite dos Santos, as vagas são limitadas. Desta forma, após o cadastro, as interessadas passarão por triagem:

 

“Nossa intenção é identificar, de maneira prévia, traços de violência em mulheres que ainda estejam passando por isso, seja a agressão de natureza patrimonial, moral, sexual, física ou psicológica, para que providências legais sejam tomadas. Logo, não é apenas um curso que estamos oferecendo, mas, sim, um caminho para a aluna aprender a se defender no dia a dia ou denunciar o que está lhe acometendo”, valoriza Celeste.

 

As aulas, que têm início nesta quarta-feira, abarcam técnicas de Vitimologia e de Autodefesa, além de oferecer acolhimento emocional. A metodologia traz a assinatura da presidente do Pró-Vítima, e de Débora Lima, multigraduada em Taekwondo.

 

A professora Jaqueline Almeida, faixa preta em Jiu-Jítsu, multimedalhista na modalidade, e que mantém um projeto social na Irlanda que ensina Defesa Pessoal para mulheres, é a embaixadora internacional da iniciativa.

 

Enquanto Débora dará as aulas presencialmente, na sede da UGT, Jaqueline vai ministrar a atividade em formato on-line.

 

O projeto é voltado a mulheres de todas as idades, a partir dos 16 anos. A ideia é que o curso de Defesa Pessoal seja expandido para outras regiões da cidade de São Paulo, posteriormente.

 

O conteúdo programático da iniciativa prevê movimentos de autodefesa, que possibilitam mulheres se desvencilharem de ataques urbanos (tentativa de assalto, estupro etc) ou dentro de casa:

 

“O Defenda-se é uma ótima oportunidade para que mulheres possam aprimorar suas habilidades, ganhar mais confiança e fortalecer a segurança pessoal. Esperamos uma adesão considerável de interessadas que queiram, também, alcançar novos patamares individuais, o que é possível por meio do Esporte”, acrescenta Celeste.