Prefeitura promove caminhada no Bosque Maia para crianças com autismo

0
379

 

Na última sexta-feira (5) a Prefeitura de Guarulhos realizou uma caminhada no Bosque Maia com o tema “Chapeuzinho Vermelho e o caçador na floresta” para um grupo de crianças acometidas com o transtorno do espectro autista (TEA). A iniciativa teve como objetivo proporcionar experiências de socialização, bem como incentivar a interação com o meio ambiente e estimular a fantasia.

 

 

Ao todo 30 pacientes do Centro Especializado em Reabilitação à Pessoa com Deficiência (CER) de três a oito anos de idade foram convidados a participar do evento, que contou ainda com a presença dos pais e responsáveis.

 

Durante a caminhada as crianças utilizaram vestimentas em referência a história da Chapeuzinho Vermelho. Iniciativa que, segundo a psicóloga do CER, Priscila Jean, facilitou a interação e o entendimento da proposta por parte dos pequenos.

 

“Para estimular a socialização das crianças com TEA precisamos inseri-las em contextos que colaborem com isso. Estimular a fantasia por meio de histórias não apenas garante a diversão como também colabora com a proposta terapêutica que é trabalhada no CER”, explica Priscila.

 

Illora Shimozato, gerente da unidade, acredita da mesma forma que o estímulo à socialização foi o principal enfoque da caminhada, tanto por parte das crianças como dos pais, que também criam vínculos e trocam experiências durante essas atividades.

 

“É essencial acolher a família, pois aqui os pais percebem que existem outras pessoas que estão na mesma situação e que passam pelas mesmas dificuldades. Um ajuda o outro e muitas vezes acabam resolvendo problemas em comum também”, conta a gerente.

 

O que dizem os pais?

 

Crianças com TEA podem apresentar dificuldades na comunicação, na interação social, no comportamento e em habilidades motoras, o que torna tarefas cotidianas, como se alimentar, vestir-se e ir à escola um desafio para os responsáveis, que por meio de ambientes como o do CER se comunicam para trocar experiências que possibilitam melhorias na criação dos filhos.

 

Renata Saturnino é mãe do paciente Ricardo Oliver, acometido de autismo, e contou que a terapia mudou o comportamento do garoto, que hoje já consegue interagir com outras crianças.

 

“Desde o começo fomos muito bem acolhidos no CER. O Ricardo passou a frequentar a escola e mudou completamente o comportamento. Eventos assim, em que eles podem estar livres, são de extrema importância para nós, pais, pois conseguimos ver na prática os resultados dessa socialização que é trabalhada no centro”, comenta.

 

A dona de casa Deuzanira Arruda partilha da mesma opinião de Renata. Seu filho Damian Cavalcante, de três anos, também é paciente do CER e, segundo a mãe, tem respondido muito bem ao tratamento psicológico oferecido pela Prefeitura. “Surgem muitas atividades e isso é importante porque faz com que ele saia de casa todos os dias. Eu estou muito feliz. Tenho visto muita mudança boa desde que ele iniciou no CER, em janeiro”, completa a mãe.

 

A caminhada fez parte da programação da Prefeitura para celebrar o Abril Azul, mês dedicado à conscientização mundial sobre o autismo. A atividade estava prevista para acontecer no último dia 28, entretanto, em razão do mau tempo, o evento foi adiado para a primeira semana de maio.

 

Quando procurar ajuda?

 

Caso as crianças apresentem sinais como dificuldade de socialização, demora ou incapacidade para desenvolver a fala, dificuldade de manter contato visual, movimentos repetitivos, alteração nas funções motoras, dificuldade de concentração ou preferência por determinadas comidas, procure uma das Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município para que a equipe médica inicie o processo de investigação do TEA. Se confirmada a suspeita, o paciente será encaminhado a um dos serviços especializados de Guarulhos para proceder ao acompanhamento e, se necessário, iniciar o tratamento.

 

A falta de informação e de suporte pode gerar dúvidas e incertezas sobre como lidar com o comportamento da criança e como ajudá-la a desenvolver as habilidades necessárias para sua independência. O suporte de profissionais de saúde e educação, bem como o de grupos de apoio para pais e cuidadores, pode ajudar a enfrentar esses desafios.

 

Serviço

 

O CER II fica na rua das Palmeiras, 865, Gopoúva. Já os endereços das UBS de Guarulhos podem ser consultados em https://www.guarulhos.sp.gov.br/unidades-basicas-de-saude-ubs.