Prefeitura inicia campanha de prevenção ao câncer colorretal neste sábado

0
61

 

A partir deste sábado (2), das 8h às 14h, o Cemeg Centro (avenida Salgado Filho, 1.148) será palco de uma importante iniciativa de saúde, a Campanha de Prevenção ao Câncer Colorretal. Realizada nos quatro primeiros finais de semana do mês, aos sábados e domingos, a ação é fruto da parceria entre a Prefeitura de Guarulhos e o Grupo de Assistência Multidisciplinar em Estomias e Doença Inflamatória Intestinal (Gamedii).

 

Foto: Fábio Nunes Teixeira/PMG

 

O objetivo da campanha é conscientizar a população sobre o câncer de cólon e reto, abordando seus riscos e as estratégias preventivas, ao mesmo tempo em que proporciona atendimento especializado aos pacientes. Os atendimentos serão realizados mediante agendamento pela regulação, priorizando pacientes da fila de demanda reprimida do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

O público-alvo abrange indivíduos acima de 50 anos sem realizar colonoscopia nos últimos dez anos, além daqueles com mais de 45 anos com sintomas como dor abdominal, sangramento anal e emagrecimento intenso, e aqueles com histórico familiar de câncer intestinal, especialmente parentes de primeiro grau.

 

Sobre o câncer colorretal

 

O câncer colorretal abrange os tumores que se originam no cólon (parte do intestino grosso), no reto (a porção final do intestino) e no ânus. Quando detectado precocemente é passível de tratamento e, muitas vezes, curável.

 

Estima-se que o Brasil registre 45.630 novos casos a cada ano, com um risco estimado de 21,1 casos por 100 mil habitantes. Dessa estimativa, 21.970 casos são previstos entre os homens e 23.660 casos entre as mulheres. Esses números correspondem a um risco estimado de 20,78 novos casos a cada 100 mil homens e 21,41 a cada 100 mil mulheres.

 

Os principais fatores de risco estão associados ao comportamento, como sedentarismo, obesidade, consumo regular de álcool e tabaco e baixo consumo de fibras, frutas, vegetais e carnes magras. Além disso, condições genéticas ou hereditárias também podem contribuir para o desenvolvimento da doença.