Prefeitura apresenta aumento de 21% no orçamento de 2023 em audiência na Câmara

0
269

 

O secretário de Governo de Guarulhos, Edmilson Americano, apresentou nesta quarta-feira (16) na Câmara Municipal o orçamento da Prefeitura para 2023, que totaliza R$ 7,03 bilhões, valor 21,24% superior à receita de 2022, de R$ 5,79 bilhões. A audiência, referente à fixação de despesas por meio da Lei Orçamentária Anual (LOA), conferiu junto a vereadores e à sociedade civil a distribuição da arrecadação para cada pasta municipal, 82 programas e 294 ações que serão fomentadas a partir desse valor.

 

Foto: Fabio Nunes Teixeira/PMG

 

Com a maior projeção orçamentária, a Educação contará com R$ 1,64 bilhão para o ano que vem. Com o montante, o time educacional prevê a manutenção do ensino e o cumprimento de despesas fixas com folha de pagamento, fornecimento de alimentação escolar, entregas de uniformes e leite aos estudantes, programas e fundos de aprendizagem, além de custear construções de escolas e contratações de educadores.

 

Por sua vez, a Saúde trabalhará com uma receita estipulada em R$ 1,39 bilhão. A equipe da pasta apresentou o objetivo de aumentar em 70% a capacidade de atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) de Guarulhos a pacientes com até 17 anos por meio da construção do Hospital Infantojuvenil (HIGru), novo prédio que será levantado em uma área pública no Parque Santo Agostinho com recursos da iniciativa privada, como um dos principais projetos incluídos no planejamento anual.

 

A Saúde objetiva ainda a conclusão do prédio do Instituto da Saúde da Mulher de Guarulhos, que contará com atendimento ginecológico hospitalar, ambulatorial e cirúrgico. A perspectiva é que a estrutura, localizada no Parque Renato Maia, oferte cerca de 3,6 mil consultas, 10 mil exames e 400 cirurgias mensais às moradoras de Guarulhos e dos municípios que compõem o Alto Tietê.

 

A apresentação também destacou o avanço do Programa Viva Baquirivu, que tem a meta de resolver em cerca de 80% as enchentes na cidade com ampliação da calha do rio Baquirivu-Guaçu, a construção de reservatórios e a recuperação de áreas de várzeas. Além disso, será implantado o maior parque linear da cidade, ciclovias e áreas esportivas e de lazer. As obras custarão, ao longo dos anos, R$ 480 milhões financiados junto à Corporação Andina de Fomento (CAF). “É um dos maiores programas voltados ao tema no país. Ele representa o legado do fim das enchentes para boa parte da população guarulhense, que passa por esse problema e muitas vezes perde seus bens”, enfatizou Americano.

 

Parte do investimento definido para a Secretaria para Assuntos de Segurança Pública, de R$ 34,86 milhões, também deriva da parceria privada. Juntamente ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a pasta deve executar a partir de 2023 uma série de projetos para a modernização da Guarda Civil Municipal (GCM) a fim de reduzir a criminalidade e as vulnerabilidades sociais na cidade com base em abordagens baseadas em evidências científicas.