Megaoperação Ferro-Velho investiga estabelecimentos suspeitos de receptação

0
52

 

Uma megaoperação denominada Ferro-Velho foi realizada nesta terça-feira (20) em Guarulhos e envolveu agentes da Guarda Civil Municipal (GCM), da Secretaria para Assuntos de Segurança Pública, fiscais da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SDU) e policiais civis. O objetivo foi fiscalizar 13 estabelecimentos suspeitos de receptação de produtos furtados. Ainda não foram divulgados os dados finais sobre as autuações.

 

Foto: Fábio Nunes Teixeira/PMG

A operação começou Paço Municipal, por volta das 10h30, com as viaturas da SDU sendo acompanhadas por GCMs e policiais civis. Antes do início, o prefeito Guti salientou a importância do trabalho. “Falo como um cidadão que sofre com o furto de fios em escolas, em Unidades Básicas de Saúde (UBS), em semáforos, com o roubo das tampas de bueiros e até mesmo das placas de sinalização. Isso interfere na vacinação, no trânsito, no dia a dia dos guarulhenses de modo geral. Por isso, essa iniciativa de união das forças de segurança só merece aplausos”, disse.

O comandante da GCM, Francisco Borotta da Silva, reforçou as palavras do prefeito. “Podem parecer crimes banais, mas na realidade impactam demais o cotidiano da cidade. Parabenizo aqui o delegado seccional pelo esforço de combater esse mal que assola o município”.

Bruno Gersósimo, titular da Pasta de Desenvolvimento Urbano, afirmou que é necessário “impedir o funcionamento desse tipo de comércio, que colabora com a venda de insumos públicos que foram roubados ou furtados. A SDU participa da ação para verificar a documentação desses espaços e, caso não estejam em conformidade, toma as providências cabíveis”.

Já o delegado seccional, José Aparecido Sanches Severo, salientou que o trabalho conjunto sempre dá frutos. “Vamos partir com tudo para acabar com esse tipo de crime, que afeta demais a sociedade. Tenho certeza de que essa atuação firme vai espantar esse tipo de criminoso da cidade”.

A chamada Operação Ferro-Velho será realizada outras vezes para fazer com que os bens de utilidade pública sejam preservados para que a população possa usufruir melhor de todos os serviços a ela destinados.