Lar Madre Regina, em Guarulhos, promove primeiro casamento entre residentes

0
106

 

Duas pessoas, por acaso, passam a conviver no dia a dia. Se aproximam, identificam afinidades e passam a se ajudar em suas necessidades. Até que ele escreve um bilhetinho dizendo “eu gosto muito de você” e ela retribui, dando o primeiro beijo de sua vida. Assim, a amizade se transforma em amor, e eles prometem ficar juntos para sempre. Essa história parece a de dois adolescentes iniciando uma vida amorosa na escola. Mas é a história de dois idosos que se conheceram em uma Instituição de Longa Permanência, o Lar Madre Regina (LMR).

 

Aos 84 anos, dona Hilda é protagonista de uma nova fase da vida ao se casar com o Sr. João, 68 anos, que conheceu durante permanência na Instituição em Guarulhos (SP). Uma história verdadeira de afeto e amor na terceira idade que continuará sendo compartilhada e acompanhada de perto com toda a assistência do Lar.

Hilda dos Santos tem 84 anos e desde 2013 está na Instituição, casa assistencial com mais de 20 anos de tradição localizada em Guarulhos, na Grande São Paulo. Solteira e sem filhos, dona Hilda nunca sequer havia namorado – dedicou a vida inteira a cuidar da mãe, que tinha muitos problemas de saúde. Esse desejo de ajudar o próximo se manteve até mesmo dentro do Lar, onde participa de diversas atividades, como passeios, artesanato e cinema, e mantém uma vida saudável. Quando já estava há dois anos no LMR, percebeu a chegada de um novo residente que parecia ter dificuldades de adaptação. Por isso, se aproximou e ofereceu um ombro amigo.

 

Esse residente era João Rodrigues Martins Neto, hoje com 68 anos. Divorciado, trabalhou a vida toda como desenhista técnico e, nos últimos anos, sofreu complicações de doenças crônicas e perdeu as duas pernas. Hoje, se locomove com uma cadeira motorizada que atende todas as suas necessidades. Foi durante as primeiras e difíceis sessões de fisioterapia que ele conheceu a dona Hilda. Em pouco tempo, os dois passaram a se esperar para fazer as refeições juntos, caminhavam lado a lado, foram se conhecendo e se apoiando mutuamente.

 

Segundo o diretor executivo do Lar Madre Regina, Sérgio Vallim, sempre foi visível a necessidade dos dois de estarem perto um do outro, e os benefícios que isso trazia para ambos. “Um dia, o Sr. João me procurou diretamente para contar sua história de vida e pedir formalmente a autorização da Casa para namorar a dona Hilda. Nós ouvimos atentamente e, percebendo que era uma história verdadeira de afeto, mobilizamos uma equipe multidisciplinar para auxiliá-los nesse objetivo, envolvendo psicólogos e fisioterapeutas”, lembra.

 

O casamento

 

O namoro começou em março de 2016 e quase dois anos depois decidiram ficar noivos. Foram meses de muita ansiedade, preparativos e a certeza dos profissionais envolvidos de que aquele amor estava fazendo bem aos idosos. Então, em 12 de abril de 2019, uma sexta-feira ensolarada, o casal selou essa união nos jardins do Lar Madre Regina. Pela primeira vez na história da Instituição, os funcionários do Lar prepararam um belo altar, convidaram o padre e organizaram uma emocionante cerimônia de casamento.

 

Dona Hilda escolheu o vestido e, no dia da cerimônia, passou a manhã em um salão de beleza se preparando da melhor maneira.

Familiares do Sr. João e da dona Hilda estavam presentes, e os colaboradores e residentes do Lar também se vestiram especialmente para a ocasião. Percebendo que era uma data especial, todos os idosos da Casa foram até a área externa e se posicionaram em filas para prestigiar o matrimônio. Os votos e troca de alianças foram seguidos de comemoração com uma banda formada por residentes e funcionários, bolo e espumante sem álcool para os convidados.

 

Para garantir a privacidade dos noivos, o LMR preparou o primeiro quarto para a união de um casal na Instituição. As duas camas com as quais Hilda e João já estavam acostumados, que são motorizadas e atendem às necessidades de mobilidade dos dois, foram unidas no mesmo ambiente. De acordo com o diretor executivo do Lar, normalmente os idosos moram em pares de mulheres ou homens, mas, nesse caso, o pensamento foi de realizar um sonho do casal e continuar dando toda a assistência aos dois. “Para nós, é muito gratificante incentivar que os residentes levem uma vida autônoma. O Lar sempre busca as melhores práticas de atendimento à pessoa idosa para garantir uma vida digna, segura e feliz. A vida é bela em sua plenitude, independentemente da idade física”, finaliza Vallim.

 

Sobre o Lar Madre Regina (LMR)

 

Inaugurado em Guarulhos, na Grande São Paulo, em 25 de novembro de 1997, em comemoração ao primeiro centenário da chegada das Irmãs de Santa Catarina ao Brasil, o Lar Madre Regina abriga 80 idosos, de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 60 anos, em situação de vulnerabilidade, risco social ou fragilidade familiar. O Lar também conta com uma ampla área interna ajardinada destinada para recreação, com caminhos planos para favorecer a circulação dos cadeirantes, ambientes internos adaptados com acessibilidade de rampas e elevador. A Instituição oferece seis refeições diárias, enfermagem 24 horas por dia, assistência espiritual, atendimento nutricional, assistência geriátrica, psicológica e fisioterápica coletivo ou individual, com equipes próprias de profissionais. O Lar Madre Regina busca promover a autonomia e qualidade de vida de seus residentes, por isso, conta com trabalhos voluntários em áreas como cabeleireiras, manicures e recreacionistas, que promovem caminhadas, festas temáticas e passeios mensais. Também há oficinas de pintura e bijuterias, de interpretação do noticiário impresso e sessões de cinema. O LMR ainda oferece estágio curricular em diversas áreas como Enfermagem, Nutrição e Serviço Social, além de estimular a integração com escolas e universidades da região.

 

Sobre a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC)

 

Com mais de 120 anos de atuação no Brasil, a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) é responsável pela administração de 23 entidades em três segmentos de atuação: Educação, Saúde e Assistência Social. A ACSC criou um modelo de gestão autossustentável onde todo superávit gerado por nossos negócios é aplicado integralmente em nossas obras, nos três segmentos, a fim de executar dignamente suas atividades e acolher e cuidar do ser humano em todo o ciclo da vida. Ao todo, são mais de 13.000 colaboradores distribuídos em diversas instituições de saúde, mantendo inúmeros estabelecimentos de ensino e acolhendo crianças, adultos e idosos em espaços assistenciais, com atendimento humanizado e serviços de qualidade para milhares de pessoas em seis estados brasileiros (Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo). Atualmente, na área de educação, as instituições da ACSC oferecem ensino de qualidade a 4.934 alunos, com 1.005 deles contemplados com bolsas integrais assistenciais. As entidades de saúde realizam anualmente 111 mil internações, 558 mil atendimentos de urgência e emergência, 2 milhões e 40 mil atendimentos ambulatoriais, 4 milhões e 913 mil exames, sendo 73,7% dos atendimentos destinados aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Na assistência social, cerca de 600 pessoas em vulnerabilidade e risco social são beneficiadas por projetos sociais da ACSC.