Guarulhos recebe ‘Festival Divas’ no próximo dia 31

0
180

 

O Festival Divas nasceu de uma crescente preocupação com a posição vulnerável que, lamentavelmente, a mulher ainda se encontra no Brasil, em pleno século XXI. Se por um lado, estamos mais unidas, e representamos 52% do mercado de trabalho, por outro ainda ganhamos em média 20% menos que nossos colegas homens, e ainda pior: somos agredidas (verbal, sexual e fisicamente) dentro e fora de casa, no trabalho, na escola, em momentos de lazer, em todas as faixas etárias, fazendo com que nenhuma mulher se sinta realmente segura em sua vida cotidiana. A violência é uma questão tão presente no Brasil, que mesmo com a subtipificação deste tipo de crime, contamos com taxa de feminicídios crescente, que hoje se encontra na quinta posição de um ranking, cujo pódio queremos urgentemente abandonar.

 

 

Pelo fato de a questão da sobrevivência ser premente, outras lutas acabam sendo postergadas em favor da vida. Estima-se que a maior preocupação das mulheres no Brasil em relação ao gênero é a violência sexual, apontada por 39% das mulheres e MENINAS, seguida pela preocupação com violência física (34%) e assédio sexual (28%). A desigualdade salarial apontada no exterior por 22% das mulheres como uma preocupação, sequer auferiu um ponto percentual no Brasil, o que significa que estamos em um estágio de luta pela vida, dignidade e integridade física no Brasil, e acabamos não tendo tempo de lutar por melhores cargos e salários, que reflitam nossa igual competência no mercado de trabalho.

 

É nesse contexto que o Festival Divas foi concebido. Nossa proposta é de um festival feito por mulheres (organizadoras, produtoras, cantoras, compositoras, pianistas, violonistas, guitarristas, modelos, empresárias, tatuadoras, produtoras de cerveja artesanal, etc), e oferecido para toda a sociedade. Além de promover a atuação da mulher em setores tão diversos, de discutir a realidade feminina no Brasil, o Festival Divas se propõe a servir como meio de interação, promovendo novos negócios, proporcionando experiências, conscientização, e valorização do gênero oprimido. Como sabemos que não apenas as mulheres são marginalizadas em nossa sociedade, nosso festival abraça outras causas como a LGBT, a causa da igualdade racial, e da justiça social.

O Festival contará com shows musicais, estações com exposição de produtos e depoimentos de empreendedoras. Após o ato de abertura, haverá uma sequência de shows musicais e breves depoimentos de expositoras intercalados. Todos apenas com integrantes mulheres.

 

ATRAÇÕES

 

Grupo à Cabidela – Trio musical acústico formado em 2014, fruto do encontro poético e criativo entre amigas. Mescla composições autorais com versões de canções inspiradoras.

Clarissa de Assis (violino e percussão)
Cris Bastos (voz e percussão)
Lê Carvalhaes (voz e violão)

 

Juliana Galdeano – Cantora, Compositora e Tecladista de R&B e Soul. Com turnês nacionais e internacionais na bagagem, apresenta repertório autoral, além de releituras de artistas como Janis Joplin, Amy Winhouse e Tina Turner.

 

Denise Alves – Cantora e Compositora MPB e Hip Hop. Cantora, compositora e MC, Denise Alves é hoje uma das vozes do Grajaú que ecoam pela cidade. Aos 25 anos desponta como uma das relíquias da cultura das margens. Denise passeia pelo ritmo da MPB mas com influências do Soul, Blues e Hip Hop. Com um repertório de músicas autorais convida a todos para um mergulho em suas memórias fragmentadas em forma de canções.

 

As Cajuínas – Banda de Forró integrada apenas por mulheres apresenta releituras de clássicos da MPB. Cajuínas é um projeto que surgiu nos trilhos do trem, entre um vagão e outro a sintonia entre a violinista Milena Ribeiro e a vocalista Vitória Cursino foi instantânea, tirando aplausos de todo vagão, essa união de cordas e Música Brasileira, conta com a energia de Milena Silva, no Cajon (percussão), jogando tudo pro alto com releituras de clássicos de Cássia Eller, Vanessa da Mata, Rita Lee, Daniela Mercury, Marisa Monte, Alceu Valença, Legião, Natiruts e muito mais! Tudo isso pra agitar o festival!

Horário da apresentação das Cajuínas: 21:20hs

 

DJ Gabi Tea – Nova aposta da Moob Produções na música eletrônica, aos 24 anos, Gabi Tea divide-se entre a faculdade de Ciências Sociais e as discotecagens na noite paulistana.

 

DJ Paula (Internacional – Colômbia) – A DJ colombiana, Paula Cuervo, mistura a música eletrônica ao tempero latino do ritmo quente: a salsa!

 

Arte Interativa

 

Flash Tattoo – “artista plástica que largou tudo para não ficar agradando ninguém, livreira que largou tudo pra não ser mais constrangida. Tatuadora e ilustradora independente feliz! Faço desenhos autorais e exclusivos, trabalho em ambiente seguro para as manas e lgbts. Para o festival estarei com flashs com precinho babadeiro para as nossas divas!” A tatuadora Paula Zacaro fará flash tattoos no Festival Divas.

 

Intervenções de Stand Up Comedy com Luciana Aragão – Com seu estilo inconfundível, Luciana Aragão despeja sua irreverência sobre temas cotidianos como a velhice, condições financeiras, e a gravidez.

 

Oficina de Pandeiro com Clarissa de Assis – Atividade gratuita, pré-requisitos levar instrumento.

 

Serviço

 

Festival Divas

 

Quando: 31 de maio

Horário: a partir das 18hs

Local: Bally Bagus Out

Endereço: Rua São Vicente de Paula, 347. Centro. Guarulhos/SP.

Saiba mais: www.instagram.com.br/moobproducoes