Guarulhos recebe 2,5 mil doses da vacina Meningo C

0
236

 

Conforme anunciado pelo governador Márcio França, nesta segunda-feira (10), a cidade de Guarulhos recebeu na manhã desta terça-feira (11) 2.500 doses da vacina Meningo C. O imunobiológico protege contra o sorotipo C da doença meningocócica, que também pode ser causada por mais quatro subtipos: A, B, W135 e Y, para os quais o SUS (Sistema Único de Saúde) não oferece vacina.

 

 

As 2.500 vacinas repassadas ao município nesta terça-feira serão distribuídas para as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Ambulatório da Criança. A primeira dose de Meningo C deve ser administrada aos três meses de idade, a segunda com cinco meses, mais um reforço com um ano. Adolescentes de 11 a 14 anos também devem tomar uma dose.

 

Meningite

 

A meningite pode ser causada por vários agentes infecciosos como bactérias, fungos e vírus, sendo que dentro das bacterianas, a meningocócica (causada pelos sorotipos A, B, C, W135 e Y) e a Haemophilus influenzae tipo b (Hib), são as únicas para as quais a OMS recomenda a chamada quimioprofilaxia, que consiste na administração de antibiótico específico para as pessoas que mantiveram contato íntimo e prolongado com o paciente infectado. A medida tem por objetivo eliminar os focos de infecção.

 

O contágio da meningite bacteriana – forma mais agressiva da doença e com maior potencial de letalidade – acontece através do contato com gotículas de saliva do indivíduo infectado. Por isso, algumas medidas simples, podem evitar sua transmissão, como o hábito de lavar as mãos frequentemente, usando água e sabão, especialmente após comer, utilizar o banheiro ou assuar o nariz; manter os ambientes bem arejados, iluminados e limpos, evitando frequentar locais fechados com muita gente; além de não compartilhar talheres, pratos ou batons.

 

Não há surto na cidade

 

Guarulhos não enfrenta surto de meningite. De janeiro até agora, foram confirmados sete casos de meningite meningocócica em Guarulhos, com quatro óbitos, sem contar o caso que está sob investigação. Além dessas oito ocorrências da forma mais agressi
va e com maior potencial de letalidade, o município confirmou outros 156 casos pelos demais agentes infecciosos (bactérias, fungos e vírus), com 23 óbitos.

 

Ao longo do ano passado foram confirmados 195 casos de meningite na cidade com 32 óbitos, sendo 20 ocorrências por doença meningocócica e oito óbitos. Em 2016 foram 254 casos com 27 óbitos. Deste total, 23 foram por doença meningocócia, sendo que cinco evoluíram para óbito.