Guarulhos intensifica busca ativa de casos suspeitos de tuberculose

0
82

Desde o dia 14 de março até o próximo dia 28 equipes das Unidades Básicas de Saúde de Guarulhos intensificam a busca ativa de casos suspeitos de tuberculose junto à população. A ação faz parte do Dia Mundial da Tuberculose, celebrado nesta quinta-feira (24), data para alertar sobre essa doença infecciosa e transmissível que afeta principalmente os pulmões.

 

Foto: Sidnei Barros

 

O objetivo da Prefeitura é orientar, esclarecer e identificar casos sintomáticos respiratórios para diagnóstico precoce da doença, bem como a diminuição de sua transmissão. A sensibilização sobre a tuberculose e suas consequências ocorre em salas de espera, consultas médicas e de enfermagem, bem como nas farmácias das UBS.

 

Além disso, os agentes comunitários de saúde realizam a busca ativa de sintomáticos (pessoas com tosse) por meio de visitas domiciliares ou da abordagem de grupos populacionais que apresentam situações de maior vulnerabilidade, como os privados de liberdade, indígenas, pessoas que vivem com HIV/aids, pessoas em situação de rua e profissionais de saúde.

 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2021 foram notificados 68.271 casos novos de tuberculose no Brasil. Em Guarulhos, no mesmo ano, foram notificados 412 novos casos, com 35 óbitos (8,5%), segundo dados preliminares da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde.

 

Entre os sinais e sintomas mais frequentes estão tosse seca ou com secreção por mais de três semanas, podendo evoluir para tosse com pus ou sangue, cansaço excessivo e prostração, além de febre baixa, suor noturno, falta de apetite e emagrecimento acentuado.

 

O trabalho do agente comunitário de saúde possibilita que no momento da suspeita da tuberculose seja coletada a primeira mostra de escarro, permitindo, em caso de diagnóstico positivo, o início oportuno do tratamento, que é totalmente gratuito e pode ser realizado em todas as UBS de Guarulhos.

 

O tratamento deve ser realizado durante um período mínimo de seis meses, diariamente e sem interrupção, até que o médico confirme a cura total do paciente, que pode chegar a 100% quando a adesão é integral e precoce. Além disso, 15 dias após o início do tratamento, o indivíduo já não transmite mais a doença.

 

Vale ressaltar que a vacina BCG (bacilo Calmette-Guérin), dada às crianças ao nascer no Sistema Único de Saúde (SUS), protege das formas mais graves da doença, como a tuberculose miliar e a tuberculose meníngea.