Guarulhos inicia a vacinação contra a monkeypox nesta quinta-feira

0
262

 

A Prefeitura de Guarulhos começa nesta quinta-feira (23) a vacinar contra a monkeypox os cidadãos com maior risco de evolução para as formas graves da doença, que antes era chamada de “varíola dos macacos”. O esquema de aplicação será em duas doses, com intervalo de um mês entre elas.

 

 

O imunizante estará disponível no Centro de Testagem e Aconselhamento (avenida Tiradentes, 2.521, Centro) e no Serviço de Assistência Especializada Carlos Cruz (rua Miracanga, 32, Parque Jurema) para as pessoas que estão dentro dos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde e que residam ou realizam o tratamento em Guarulhos.

 

A população-alvo para a vacinação deve obedecer às recomendações descritas a seguir.

 

Vacinação pré-exposição

 

Pessoas vivendo com HIV/aids com idade igual ou superior a 18 anos, que sejam homens cisgênero, travestis e mulheres transexuais que possuam contagem de linfócitos T-CD4 inferior a 200 células em exame coletado nos últimos seis meses.

 

Vacinação pós-exposição

 

Pessoas que tiveram contato direto com fluidos e secreções corporais de pessoas suspeitas, prováveis ou confirmadas para monkeypox, cuja exposição seja classificada como de alto ou médio risco, conforme recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

Monkeypox

 

Trata-se de uma doença causada pelo monkeypox vírus (MPXV) que se manifesta principalmente por meio de lesões na pele, como manchas e feridas abertas, acompanhadas por ínguas na região das axilas e da virilha. Além disso, outros sintomas semelhantes aos da gripe comum, como febre, dor de cabeça e dores musculares, também podem ocorrer.

 

A doença é considerada de baixa letalidade, já que a maioria dos casos são resolvidos naturalmente em cerca de 21 dias, sem a necessidade de internação hospitalar. A transmissão ocorre por meio do contato com a pele, sangue, fluidos corporais e secreções, como saliva e roupas de cama, de pessoas infectadas.

 

Embora a monkeypox não seja considerada uma infecção sexualmente transmissível (IST), ela pode ser transmitida por contato próximo com indivíduos infectados. Por esse motivo, é recomendado o isolamento imediato em casos suspeitos.

 

Dados da doença

 

No Brasil, até 13 de março, foram notificados 50.803 casos suspeitos da doença. Deles, 10.301 (20,3%) foram confirmados, 339 (0,7%) classificados como prováveis, 3.665 (7,2%) suspeitos e 36.498 (71,8%) descartados.

 

Em 2022 foram confirmados 92 casos de monkeypox em residentes de Guarulhos, resultando em um óbito. Já em 2023, até o momento, apenas um caso da doença foi diagnosticado no município.