Guarulhense recebe prêmio de melhor jogador de Beach Tennis do Estado de São Paulo

0
715

 

O empresário Kadu Rodrigues foi destaque no cenário esportivo e recebeu na noite de quinta feira dia 17 o troféu de melhor jogador de Beach Tennis do estado de São Paulo, na categoria masculina B. Concedido pela FPT (Federação Paulista de Tenis), a premiação aconteceu com uma grande festa, e reuniu os melhores jogadores do estado no Salão nobre do Clube Círculo Militar de São Paulo.

 

Kadu Rodrigues (1)

 

O troféu foi entregue aos jogadores que terminaram o ano de 2015 em primeiro lugar no ranking individual por categoria e o guarulhense terminou o ano com 760 pontos, em primeiro lugar isolado, 160 pontos à frente do segundo colocado que é seu parceiro de competição Oliver Clerici . Esse ano ele estará jogando pela equipe do SPFC (São Paulo Futebol Clube) e promete muitos títulos para o clube e para cidade.

 

Como foi receber o prêmio de melhor jogador de 2015 na categoria masculina B do Beach Tennis?

 

Foi muito bacana, principalmente porque esse nunca foi meu objetivo, comecei praticar esse esporte por pura diversão, continuo praticando por diversão, mas claro que ganhar e ser reconhecido é sempre muito bom.

 

Foi difícil terminar o ano em 1° lugar do ranking?

Foi sim, eu acabei sendo um dos últimos jogadores a me filiar na Federação Paulista de Tenis e por isso comecei a disputa com vários jogadores na minha frente, tive que participar de praticamente todos os torneios para conseguir pontuar e recuperar o tempo perdido.

Sabe nos dizer quantos torneios você disputou e venceu no ano passado?

Olha, foram muitos (risos), joguei em tudo quanto é canto que você possa imaginar, Porto Seguro, Balneário Camboriú, Florianópolis, Belo horizonte e praticamente em todos os torneios dentro do estado de São Paulo, desde o interior até os campeonatos de praia. Eu não sei quantos torneios eu ganhei, mas foram mais de 15 com certeza.

Teve algum em especial?

 

Tiveram vários, teve um que nem fui campeã, fui segundo colocado, mas por estar disputando na categoria profissional, duas acima da que disputo hoje, eu e meu parceiro conseguimos ser vice campeões, derrotando duplas que já jogam a bastante tempo no circuito profissional. Mas também teve aquele frustrante e foi quando fui convocado para representar o estado de São Paulo na Copa das Federações em Florianópolis e acabamos terminando a competição em sexto lugar.

 

Como você pratica esse esporte que na maioria das vezes é jogado em praia e estamos numa cidade onde não existe praia?

 

Eu acabo me dividindo para poder treinar, uma vez por semana desço para Santos e aproveito a estrutura maravilhosa que a ASBT (Associação Santista de Beach Tennis) oferece aos jogadores e treino e durante a semana aqui na capital, ano passado era atleta do Clube Espéria e esse ano vou jogar pelo SPFC.

 

Como foi que você descobriu esse esporte?

 

Eu sempre fui um fanático por esportes, joguei vôlei a adolescência toda, o tempo passou e o trabalho constante acabou me afastando do esporte, mas foi no meio do trabalho que reencontrei minha treinadora de vôlei a professora Li Lima, que me falou do Beach Tennis e me levou no outro dia para conhecer o esporte, foi amor à primeira vista.

 

Quais as expectativas pro ano de 2016 em relação ao Beach Tennis?

 

 Continuar jogando muito e principalmente se divertindo ao lado de pessoas tão queridas e especiais que esse esporte proporciona, esse ano também estarei representando um novo clube, que me recebeu de braços abertos e ao lado do meu parceiro Oliver, que já é jogador do SPFC conquistar vários títulos.