GCM Ambiental resgata ave silvestre ferida gravemente por cerol no Pimentas

0
78

 

A Inspetoria Ambiental da Guarda Civil Municipal (GCM) de Guarulhos resgatou na tarde de quinta-feira (26), na região do Pimentas, uma ave silvestre da espécie curicaca ferida gravemente por linha cortante com cerol, após os agentes receberem uma denúncia pela Central de Atendimento 153. O pássaro foi transportado em segurança ao Zoológico Municipal, onde passará por uma cirurgia com o objetivo de recuperar sua capacidade de voo.

 

 

A veterinária Claudia Igayara explicou que a ave sofreu uma lesão no patágio, a membrana que liga as patas dianteiras às traseiras e que tem a função de fazer diversos animais planarem. Um tendão também foi atingido. “Ela irá operar. Mas é um ferimento forte, e mesmo com os esforços da equipe não há como garantir que irá se recuperar totalmente”, enfatizou.

 

A curicaca tem um canto forte e vive em locais abertos, especialmente em campos, pastagens e gramados com pouca umidade. Não é comum na região de Guarulhos, mas é valorizada e protegida por ser um controlador biológico, pois extrai da terra larvas e insetos que são nocivos às plantas e aos humanos.

 

Cerol e linha chilena

 

Os pássaros são grandes vítimas do uso do cerol, mistura de cola com vidro moído, e da linha chilena, feita de cola com óxido de alumínio e pó de quartzo. No entanto, o material também representa perigo de vida para as pessoas e risco de destruição do patrimônio público e privado.

 

A mistura cortante pode causar prejuízos à rede de distribuição de energia elétrica e é inimiga dos motociclistas, uma vez que as linhas são capazes de cortar profundamente ao se chocarem com os condutores em velocidade, podendo atingir áreas sensíveis do corpo, como artérias.

 

O uso do cerol ou linha chilena é crime previsto pela lei municipal 7.768/2019. Comerciantes das substâncias e seus usuários podem pagar multa de até 1,4 mil reais.

 

Além disso, a prática de maus-tratos a animais silvestres e domésticos é considerada crime ambiental, conforme a lei 9.605/98.

 

As denúncias podem ser feitas à GCM pelo telefone 153. Não é necessário se identificar.