Fundo Social recebe alimentos arrecadados por escolas

0
224

 

O Fundo Social de Solidariedade (FSS) recebeu nesta terça-feira, dia 12, a doação de alimentos não perecíveis como latas de óleo, enlatados, arroz, feijão, farinha, fubá, fraldas, entre outros itens, doados pelos colégios Almanac e Vinícius de Moraes. Os produtos foram arrecadados pelas instituições de ensino entre seus alunos e doados à ONG “Fazendo a Diferença”, que os repassou ao Fundo Social de Solidariedade para doação a famílias em situação de vulnerabilidade social e instituições sociais do município. As entregas das doações foram feitas à representante do Fundo Social, Keiko Nabeshima nas sedes das escolas.

 

Foto: Sidnei Barros/PMG

 

A presidente do FSS, Elen Farias, ressaltou a importância do envolvimento da sociedade com as causas sociais. “Doações como estas são muito importantes para os projetos desenvolvidos pelo Fundo Social. Mais uma vez, agradecemos a parceria com as renomadas instituições de ensino de nossa cidade. Somente com a ajuda de todos podemos atender as pessoas que mais precisam”, declarou Elen.

 

Com 350 alunos, do berçário ao 8º ano, o Colégio Almanac, localizado no Bom Clima, arrecadou alimentos não perecíveis durante uma apresentação de ballet de seus alunos, cuja entrada era um quilo de gênero alimentício.

 

A diretora do Almanac, Adriana Venditti, destacou o objetivo da arrecadação entre os estudantes. “O intuito foi despertar a solidariedade nas crianças, que hoje está sendo deixada de lado. A escola tem esta visão de ajudar o próximo e se cada um fizer um pouco, a gente consegue muito”, disse Adriana.

 

Já o Colégio Vinícius de Moraes, situado na Vila Augusta, promoveu a Gincana da Solidariedade entre os 420 alunos, da educação infantil ao ensino médio, matriculados nas duas unidades.

 

Para a coordenadora pedagógica do Vinícius de Moraes, Juliana Riva, as campanhas de solidariedade entraram para o calendário da escola. “Sempre desenvolvemos projetos solidários com nossos alunos, que gostam muito de participar. O envolvimento é geral e os pais abraçam a causa”, afirmou Juliana.