Enem PPL registra aumento de 51% no número de presos inscritos na Capital e Grande São Paulo

0
630

 

Enquanto para alguns o final de ano é um momento de reflexão, para outros pode ser o período oportuno para iniciar novos projetos. Os presos paulistas que concluíram o ensino médio terão a chance de um novo começo nos próximos dias 11 e 12, datas em que serão realizadas, em 155 presídios do estado, as provas do Enem para Pessoas Privadas de Liberdade, mais conhecida como Enem PPL.

 

 

Assim como a prova do Enem que aconteceu em novembro último, o Enem PPL também é realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), com o mesmo conteúdo do exame feito para as pessoas que estão em liberdade. A diferença é que neste caso a prova será realizada nas unidades prisionais e socioeducativas indicadas pelos respectivos departamentos de administração prisional de cada órgão federativo do Brasil. Em 2018, inscreveram-se para fazer as provas 13.870 reeducandos paulistas, um aumento de mais de 26% em relação ao ano passado.

 

Para a preparação deste ano, a maioria dos estabelecimentos prisionais participantes tem grupos de estudo coordenados por monitores da Fundação “Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel” (Funap) e por professores das escolas públicas da Secretaria de Estado da Educação, que desde 2013 ministram aulas para os privados de liberdade. Atualmente, mais de 33 mil presos estudam entre o ensino formal e não formal (cursos profissionalizantes, extracurriculares, atividades complementares) em todo o estado.

 

As provas serão realizadas no período da tarde, a partir das 13h30, num total de cinco horas de duração. No primeiro dia do exame (11/12), os estudantes entram meia hora mais cedo para preencher um questionário socioeconômico e na sequência farão as provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Ciências Humanas e suas Tecnologias. Já no segundo dia do exame (12/12), serão aplicadas as provas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias.

 

ENEM PPL na Capital e Grande São Paulo

 

Na Capital e Grande São Paulo, 27 estabelecimentos penais administrados pela Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Metropolitana de São Paulo (Coremetro) aplicarão o ENEM PPL para 2.100 inscritos. Em relação ao ano de 2017, houve um aumento de 51% no número de presos interessados no exame, que é uma importante porta de entrada para o ensino superior.

 

Em 12 locais da Capital, entre Centros de Detenção Provisória, Centros de Progressão Penitenciária e Penitenciárias, são 712 inscritos. Em Franco da Rocha, município com cinco unidades prisionais, 581 pessoas se preparam para realizar o exame na próxima semana. Quanto aos estabelecimentos localizados nas cidades de Guarulhos, Osasco, Itapecerica da Serra, Diadema, Santo André e São Bernardo do Campo somam 807 sentenciados participantes da prova.