Educação bilíngue ganha destaque no programa Saberes em Casa

0
67

 

Histórias, dramatizações, brincadeiras, investigações e glossários bilíngues, entre outras atividades em Libras, integram a programação do Saberes em Casa. Desde o início do programa, a Prefeitura de Guarulhos reforça a importância da educação bilíngue com propostas educativas na língua de sinais (Libras) no processo de alfabetização de educandos surdos, com o objetivo de assegurar as mesmas oportunidades a todos os estudantes da rede municipal de ensino.

 

Além de toda a programação possuir um intérprete de Libras, o programa Saberes em Casa apresenta o quadro Libras em Casa, que tem como objetivo acessar o currículo por meio de Libras a partir do ensino, construção, aprofundamento e compartilhamento de diversos conhecimentos. As propostas contribuem com a difusão e o uso da Língua Brasileira de Sinais pelos educandos surdos, permitindo também que, gradativamente, se construa um caminho da Libras como língua adicional de muitas crianças ouvintes para que possam aprender e produzir suas primeiras sinalizações a partir do programa.

 

Há 14 anos atuando como professor bilíngue na Prefeitura de Guarulhos, Rafael Miguel explica que o Brasil é um país multilíngue e rico em diversidade humana. “Sabe-se que, além do português, mais de 222 línguas são faladas no país. Dentro dessa multiplicidade está a Língua Brasileira de Sinais, reconhecida como meio legal de comunicação e expressão de bebês, crianças, jovens e adultos surdos”, conta Miguel, que apresenta o quadro Libras em Casa.

 

Criatividade na aprendizagem

 

A educação inclusiva tem se mostrado cada vez mais relevante na atualidade, buscando novas didáticas capazes de produzir aprendizagens e promover a independência dos alunos surdos. De forma lúdica e criativa, o espaço Libras em Casa tem cativado o público com histórias contadas por meio de dramatizações, envolvendo crianças de todas as idades do começo ao fim do episódio.

 

As atividades são apresentadas em Libras, com tradução simultânea para o português oral, permitindo que os educandos ouvintes, bem como os familiares e amigos de surdos, possam acompanhar e entender o que está sendo sinalizado.

 

As devolutivas das propostas apresentadas no programa abrangem todos os educandos. A equipe pedagógica acompanha as atividades que são compartilhadas tanto pelo educando surdo como pelo ouvinte após o término do episódio. O retorno é permanente pelas redes sociais, o público interage e tem se interessado cada vez mais. “Nós professores observamos que muitos querem aprender essa língua, existe uma demanda e esse espaço de Libras supre uma lacuna. De fato, as pessoas querem se aproximar desse conhecimento, dessa língua, pois são as diferenças que nos fazem indivíduos, e o programa faz isso, aproxima as pessoas nas suas diferenças, como a linguística”, explica Rafael Miguel.

 

Muitos são os desafios enfrentados pelos estudantes e suas famílias para o aprendizado de forma remota. Para Valeria Rebouças Silva, mãe do educando surdo Daniel Alves Rebouças, 8 anos, da EPG Crispiniano Soares, mesmo o aluno podendo assistir ao programa em qualquer lugar, por meio de computador, celular ou acompanhar pela TV, a interação da sala de aula e o contato direto com o professor fazem a diferença, sobretudo para os alunos surdos.

 

“Sabemos que não é fácil estudar de forma online. Se para o adolescente não tem sido fácil, para as crianças surdas torna-se mais complexo em casa. Por isso, é indispensável ter propostas bem atrativas para prender a atenção do Daniel. Os episódios em que o professor Rafael aparece contando as histórias em Libras são as partes que prendem a atenção dele de verdade, fazem com que ele assista várias vezes para depois conseguir contar a história perfeitamente bem”, avalia Valeria sobre a necessidade de um aprendizado diferenciado e bem elaborado para o desenvolvimento das crianças surdas, principalmente sem a interatividade que a escola proporciona.

 

No Brasil os desafios do ensino remoto na pandemia causaram inúmeros debates e reflexões sobre a importância da tecnologia. Da mesma forma, a educação bilíngue oferecida pela Prefeitura de Guarulhos tem sido valorizada, apontando melhores caminhos para o ensino de educandos surdos.

 

Atualmente o programa Saberes em Casa conta com a participação das intérpretes de Libras Emylle Cassia Cabral dos Anjos, Leticia Muniz e Regina Fernandes.