Demitidos da MTP são obrigados pela Justiça a desmontar acampamento

0
578

 

Acampados há mais de 40 dias na rampa de acesso da empresa MTP, os funcionários demitidos em dezembro de 2014, acataram pacificamente a decisão judicial imposta pela juíza Beatriz de Souza Cabezas, da 4ª vara Cível de Guarulhos, que determinou a saída destes da metalúrgica, na manhã de ontem.

Apoiados pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região, os trabalhadores deixaram o local, porém, garantem permanecer em vigília no entorno do imóvel.

 

mtp-guarulhos

 

De acordo com o secretário geral do sindicato, Célio Ferreira Malta, a MTP entrou com pedido de reintegração e manutenção de posse alegando que os manifestantes invadiram a empresa para roubar maquinários. “Acompanhamos a vistoria com o representante da metalúrgica e o da justiça, que constatou que tudo está intacto dentro da empresa. Essa tese caiu terra abaixo”, comenta.

 

O oficial de justiça, Ismael de Souza, confirmou a informação. “Tudo está aparentemente normal. Fisicamente, não tem nada com sinais de arrombamento”, afirma.

Para o vice-presidente do sindicato, Josinaldo José de Barros, a determinação poderá facilitar que a metalúrgica retire o maquinário ainda existente no local. “Essa decisão vai favorecer a empresa que lesou centenas de trabalhadores. Mas nossos advogados vão informar a justiça sobre esse risco. Vamos continuar na luta”, garante.

Convencidos, os trabalhadores desmontaram o acampamento instalado na rampa de acesso da MTP e se agruparam no entorno da empresa, onde garantem não deixar o local. Além do sindicato, os manifestantes também contaram com o apoio do vereador Heleno Metalúrgico (PDT). “A vigília vai continuar”, garante o vereador.

Funcionário da MTP há 30 anos, o auxiliar de almoxarifado Santino da Silva Filho, 49 anos, se emociona ao lembrar que permanece acampado desde o início da manifestação.

“Me dediquei todo o tempo e só recebi não da empresa. Mas vou continuar e não vou desistir de receber meus direitos”, reforça.

 

A Polícia Militar acompanhou a execução do mandato.

 

Fonte: Guarulhos Hoje