Defesa Civil orienta sobre prevenção e cuidados para realizar festas juninas seguras

0
74

 

Guarulhos volta a celebrar presencialmente as festas juninas e julinas em 2022, após dois anos de suspensão devido à pandemia de covid-19. Para que esse retorno seja comemorado com segurança, a Prefeitura reforça algumas orientações sobre o perigo da armação de fogueiras, da soltura de balões e de fogos de artifício, além de outros gatilhos de incêndio.

 

 

Em 2019, último ano em que as festas de São João foram feitas de forma presencial, 54% dos incêndios registrados pelo Corpo de Bombeiros em Guarulhos ocorreram entre junho e julho. O período marca a entrada da temporada de frio e a queda da umidade do ar, o que aumenta o risco de propagação do fogo e gera a necessidade de atenção redobrada.

 

Para evitar esses problemas, a Defesa Civil de Guarulhos indica que os locais das festas sejam afastados de áreas de vegetação ressecadas e que seja feita a varredura e a retirada dos materiais combustíveis nas proximidades das fogueiras e das barracas, bem como das baterias de explosivos festivos.

 

As festas típicas também instigam a venda e a soltura de balões, crimes previstos na lei 9.605/1998 com pena de detenção de um a três anos ou multa e que devem ser denunciados à Polícia Militar pelo telefone 190. Além de causar risco de destruição da vegetação, de estruturas e à vida humana, a atividade baloeira pode provocar grandes tragédias em Guarulhos por ser uma cidade aeroportuária, como explica o coordenador-adjunto da Defesa Civil, Israel Soares.

 

“Os balões causam enormes problemas para o tráfego aéreo, pois podem colidir com as aeronaves, causando quedas, gerando atrasos e trazendo significativos prejuízos. Nessa época do ano eles são os maiores causadores de incêndios florestais e industriais”, pontuou Soares.

 

Os fogos de artifício com estampidos são proibidos em Guarulhos pela lei 7.684 devido à perturbação de sossego público causada pelo barulho. No entanto, até o menos potente material pode ser suficiente para causar queimaduras e machucar quem o manuseia ou pessoas ao redor.

 

Mesmo atos que parecem inofensivos podem iniciar pequenos focos de fogo. “Dependendo do local, devem ser descartadas brincadeiras com rojões e bombinhas, uma vez que podem servir como gatilhos para focos de incêndio, assim como é preciso orientar quem fuma que a bituca de cigarro seja apagada e jogada no lixo de forma correta”, ressalta Soares.

 

Outro cuidado necessário é que as instalações elétricas das barracas estejam longe dos enfeites aéreos, como bandeirinhas e lanternas juninas, e devem ser feitas por profissionais para não haver o risco de energização acidental das estruturas, o que ocasionaria risco iminente às pessoas.

 

Saiba quem acionar  

 

A Brigada de Incêndio da Prefeitura atua como apoio ao Corpo de Bombeiros, que é o órgão responsável por lidar com grandes incêndios e pode ser acionado pelo telefone 193. A brigada também combate os pequenos focos de fogo em mata.

 

A Defesa Civil atende 24 horas, todos os dias da semana, pelo número 199, para orientar a população e prestar socorro em desastres naturais. Em caso de acidentes e queimaduras, a vítima deve procurar atendimento médico de urgência.