Artistas promovem intervenção urbana circense no Bosque Maia

0
78

 

No próximo domingo (1º), a partir das 10h30, o Bosque Maia recebe a intervenção urbana circense Atravessando Lugares nas Ruas, o mais recente trabalho de Mano a Mana, duo de artistas que têm buscado formas de renovar a cena por meio de técnicas de mão a mão. O espetáculo integra as atividades do projeto Cidadania Ativa em comemoração ao Dia do Trabalhador.

 

 

Inicialmente criada em formato audiovisual diante da crise sanitária, agora a obra chega às ruas e espaços públicos em formato de intervenção urbana, com experimentação de espaços inusitados e investigação de ambientes cênicos, sonoros, de moda e artesanais.

 

O trabalho do duo Mano (Dyego Yamaguishi) a Mana (Marília Mattos) é um passeio por trilhas urbanas compostas por ambientes estéticos, sociais e políticos. Diante da inércia que, muitas vezes, toma o padrão cotidiano, a busca é por questionar os hábitos vigentes a partir da exploração acrobática não usual das regras de convivência nos ambientes e nos corpos.

 

A ideia de possibilitar encontros enquanto atravessa lugares vem da própria história da dupla. “Desde que começamos a treinar juntos falamos sobre o nosso modo de vida – atravessar a cidade todos os dias, promover encontros e treinos com nossas mochilas nas costas, fazendo mão a mão por todo canto. Fazer isso na cidade de Guarulhos, agora que estou atuando na Escola Viva com aulas de mão a mão, será muito especial”, explica Yamaguishi, que atua como educador presencialmente na Escola Viva de Artes Cênicas, no Teatro Padre Bento.

 

A apresentação itinerante é um projeto realizado com recursos do ProAc Editais, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do governo do Estado de São Paulo, e conta com o apoio da Prefeitura de Guarulhos.

 

A mochila

 

Além do mano e da mana, outra personagem em cena é a mochila. Criada por Dodô Giovanetti, com estilização de Diogo Monteiro, a companheira inseparável ganha uma função inusitada e poética: além de sustentar a mana na travessia, traz memórias, afetos, alegrias e tristezas.

 

A composição conta ainda com a perspicácia da direção de Beatriz Evrard, a sofisticação minimalista dos figurinos de Aline Bartcus e os ambientes sonoros de Craca.

 

O Bosque Maia fica na avenida Paulo Faccini, s/nº.