Após esperar 14 dias por cirurgia paciente morre no Hospital Geral

0
763

 

A paciente Maria Aparecida de Oliveira Andrade, 78, faleceu às 23h na noite desta segunda-feira (27), após esperar 14 dias em busca de uma cirurgia no fêmur. A paciente deu entrada no Hospital Geral, localizado no Parque Cecap no dia 15 de março, após cair no quintal enquanto brincava com o cachorro. Durante a queda, Maria fraturou o fêmur.

 

morte-no-hospital-cecap
Foto: Ivanildo Porto

 

Ao chegar ao hospital, segundo a família, Maria foi direto para o Pronto Socorro, mas como não havia leito suficiente, não foi possível a realização da cirurgia, e a paciente continuou no local. Enquanto aguardava o procedimento cirúrgico, ela recebeu apenas uma medicação forte, e aí começaram as primeiras complicações, como dificuldade para comer e vômito.

 

“Os médicos falavam que nós tínhamos que esperar dez dias porque não havia vaga e prótese. Apenas no sétimo dia levaram ela para o sétimo andar”, disse o sobrinho da vítima, Carlos Alberto. Segundo a diretoria do Hospital Geral, foi diagnosticado nesse tempo infecção respiratória e urinária na paciente, o que impedia a realização de qualquer tipo de cirurgia.

 

Enquanto aguardava a liberação do leito, a família revelou que mais de 20 reclamações foram efetuadas para a diretoria do hospital, e após as primeiras complicações na paciente, foi realizado uma endoscopia. “O que mais entristece a gente, é que ela foi internada por um motivo e acabou falecendo por outro, ou seja, uma série de complicações que começou neste hospital”, revelou Carlos Alberto.

 

Após a espera de 14 dias pela cirurgia, e sem conseguir realizá-la, Maria Aparecida de Oliveira Andrade veio a óbito às 23h desta segunda-feira (27), após sofrer uma parada cardíaca. O enterro de Maria Aparecida ocorreu nesta terça-feira (28), às 17h no cemitério da Vila Rio de Janeiro.

 

Nota de Posicionamento do Hospital Geral

 

O Hospital Geral de Guarulhos informa que a paciente em questão deu entrada na unidade no dia 15 de março e foi trazida pelo resgate do Corpo de Bombeiros após cair e sentir dores no quadril. A paciente foi prontamente atendida e submetida a exames radiológicos que confirmaram o diagnóstico de fratura de quadril. Em seguida ela foi internada para preparo pré-operatório e tratamento cirúrgico. É importante ressaltar que a paciente tem histórico de cirurgias esofágica e esofagectomia, e durante o período de internação o quadro dela evoluiu para vômitos, sendo necessário investigação diagnóstica com endoscopia, com resultado de gastrite.

 

Além disso também foi diagnosticado infecção urinária e respiratória, o que impedia a realização de qualquer tipo de cirurgia. Vale destacar também que a paciente recebeu toda assistência da equipe médica no leito do Pronto Socorro até o dia 25, onde ela ficou em um local chamado “Sala Vermelha”, local este equipado com aparelhos próprios de uma UTI. Assim que houve liberação de leito no andar, a paciente foi transferida. Vale ressaltar que após transferência a paciente continuou sendo assistida por equipe multidisciplinar clínica para ajudar na estabilização do quadro, que evoluiu para insuficiência respiratória devido a pneumonia, falecendo ontem, dia 27.

 

A unidade também esclarece que o Pronto Socorro do Hospital Geral de Guarulhos atende todos os pacientes que procuram a unidade seja por demanda espontânea, como os que são encaminhados das Unidades Básicas de Saúde, SAMU, Corpo de Bombeiros e Nova Dutra, e no primeiro trimestre deste ano registrou aumento de demanda de 35% em relação à média. A paciente em questão recebeu todo o atendimento necessário, e todos os protocolos clínicos para seu caso foram adotados pela equipe do hospital.

 

Reportagem: Ulisses Carvalho

 

Fonte: Guarulhos Hoje