Unidade de Pronto Atendimento Paulista é inaugurada após anos de espera

0
430

 

Após anos de espera, a população do Jardim Paulista e adjacências não precisará mais se deslocar até a região central da cidade para obter assistência médica em casos urgentes.

 

upa-paulista-guarulhos (1)
UPA Paulista funcionará 24 horas por dia na rua Teixeira Mendes. Foto: Fábio Nunes Teixeira / PMG

 

É que na manhã desta quinta-feira (29) o prefeito Guti inaugurou a Unidade de Pronto Atendimento – UPA Paulista, que funcionará 24 horas por dia, sete dias por semana, na rua Teixeira Mendes, esquina com a rua Nizal, oferecendo assistência de urgência e emergência em clínica médica, pediatria e ortopedia, além de exames laboratoriais, raio-X e eletrocardiograma.

 

“Esse é um aparelho vital para essa região e para toda a população de Guarulhos, porque muita gente de outras localidades virá para essa unidade”, destacou Guti. O prefeito falou que persegue dois dogmas desde a campanha, sendo o primeiro deles a definição da Saúde como primordial. “É por isso que estamos avançando. Financeiramente estamos fazendo tudo o que é possível, aplicando em Saúde quase o dobro do percentual de 15% que é exigido por lei”, ressaltou.

 

upa-paulista-guarulhos (2)
Guti fala que esta entrega define a vontade de resolver a questão da Saúde. Foto: Fábio Nunes Teixeira / PMG

 

Segundo o prefeito, seu segundo dogma é a entrega das obras paradas por gestões anteriores. “Vamos finalizar aquilo que já existe e onde já foi gasto dinheiro público. Não estou preocupado em deixar um legado de cimento e tijolo, mas em melhorar a vida da população”, disse. Já o vice-prefeito Alexandre Zeitune falou que a entrega da UPA é resultado da plataforma de gestão colaborativa. “Assim estamos construindo uma cidade melhor”, observou.

 

Atendimento

 

A UPA Paulista tem capacidade para atender uma média de 250 pessoas por dia. Para tanto, conta com uma equipe de 202 profissionais, sendo mais de 90 médicos, além de nutricionista, assistente social, farmacêutico, técnico de imobilização de gesso, entre outros. A unidade, que possui 12 leitos de observação 24 horas, está preparada para atender casos de crises convulsivas e asmáticas, alterações de pressão arterial, febre, fraturas, ferimentos, suspeitas de infarto e derrame.

 

upa-paulista-guarulhos (3)
Guti visitou todas as dependências da nova UPA da cidade. Foto: Fábio Nunes Teixeira / PMG

 

“Essa unidade vai proporcionar um alívio assistencial para toda essa região da cidade. Esse é o modelo que estamos implantando: a Atenção Básica fortalecida para promover saúde, os serviços de pronto-atendimento para atender a população quando a doença surgir e os hospitais para receber os casos mais complexos e que necessitam de internação”, explicou o secretário de Saúde, José Sérgio Iglesias Filho.

 

Estrutura

 

Com 1.173 metros quadrados de área construída, a UPA Paulista tem quatro consultórios médicos; sala de urgência, de atendimento social, para classificação de risco, de medicação e soroterapia, de radiologia, para sutura e curativo, de gesso, de inalação e para coleta de exames, além de ambientes para apoio logístico, diagnóstico e administrativo. Possui também uma moderna recepção e farmácia exclusiva para os pacientes atendidos no local.

 

upa-paulista-guarulhos (4)
Unidade pode atender uma média de 250 pessoas por dia. Foto: Fábio Nunes Teixeira / PMG

 

“Essa é uma obra de coragem. Existem 600 unidades como essa que estão fechadas no Brasil, porque os governos não fizeram previsão de custeio para colocá-las em funcionamento”, lembrou o ex-secretário de Saúde, Roberto Lago. Já secretária adjunta de Saúde, Graciane Dias Figueiredo Mechenas, enfatizou que a UPA Paulista vai fazer muita diferença na cidade.

 

Diferencial

 

A UPA Paulista ainda conta com um diferencial: é o único serviço de pronto atendimento do município que terá a presença de um ouvidor SUS à disposição dos usuários, para receber reclamações e sugestões. A unidade recebeu o nome de Márcia Crisci Rutkowski, uma homenagem à enfermeira dedicada ao SUS que ingressou na Prefeitura em 9 de fevereiro de 1991 e faleceu em 20 de janeiro de 2016, aos 52 anos de idade, depois de enfrentar uma árdua luta contra o câncer.

 

Nascida na cidade de São Paulo, Márcia cursou Enfermagem na Universidade de Taubaté. Deixou o marido, que também faleceu em novembro do ano passado, e um casal de filhos, Raphaela, hoje com 20 anos, e Matheus com 15. Ao longo de sua carreira na Prefeitura, ela atuou na Região de Saúde Centro, prestando assessoria técnica, bem como gerenciou as Unidades Básicas de Saúde (UBS) Flor da Montanha, São Ricardo e Jardim Vila Galvão.