Solução para escola interditada na Vila Rosália

0
476

 

Familiares e alunos da Escola da Prefeitura Padre Manoel de Paiva, na Vila Rosália, que foi interditada nesta quinta-feira (12) pela Defesa Civil, podem ficar tranquilos em relação ao ano letivo que começa no próximo dia 6 de fevereiro. Isso porque, o secretário de Educação, Esporte, Cultura e Lazer, Alexandre Zeitune, conseguiu garantir as aulas com a utilização das salas do Colégio Integrado de Guarulhos (CIG) e da Escola Estadual Prof. Homero Rubens de Sá.

 

Assunto:Zeitune entrevista Local: Secretaria de Educação Data:10.01.2017 Foto:Sidnei Barros/PMG
“Não podíamos prejudicar os alunos”, diz Zeitune. Foto: Sidnei Barros

 

Para Zeitune era uma questão de bom-senso. “Não é possível colocar em risco as pessoas e crianças que utilizam a escola. O prédio estava com muitas rachaduras por causa das obras do piscinão e o risco era imenso”, atestou.

 

Ele ainda ressaltou que tinha que decidir rápido, pois não poderia deixar os alunos sem aula e no mesmo dia já encontrou a solução. “Agradeço muito aos dirigentes do Colégio Integrado e também do Homero, que compreenderam o nosso problema e se dispuseram a ajudar. Isso é parceria, é a síntese de um governo e sociedade que são colaborativos. E o mais importante é que os estudantes não serão prejudicados”, finalizou Zeitune.

 

Estrutura

 

O CIG disponibilizou seis salas de aula para atendimento de aproximadamente 500 alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental, em três períodos.

 

Já os cerca de 50 alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) que estudam no período da noite serão acomodados em 2 salas de aula disponibilizadas pela Diretoria de Ensino Guarulhos Sul na EE Professor Homero Rubens de Sá, também na Vila Galvão.

 

Histórico

 

As obras de construção do Reservatório para Controle de Cheias (Piscinão) do córrego Jacinto, Na Vila Galvão, abalaram a estrutura da escola Padre Manoel de Paiva, causando rachaduras. O fato chamou a atenção da diretora da escola, Djenane Martins Oliveira, que solicitou visita técnica da SE.

 

O processo foi encaminhado para a Coordenadoria de Defesa Civil e interditou nesta quinta-feira (12) o prédio, que deverá ser recuperado. A empresa responsável pelas obras do piscinão vai custear todas as despesas de adaptação e revitalização do espaço físico do colégio.